Acompanhe como cada deputado e senador goiano votou sobre o orçamento secreto

Postado em: 30-11-2021 às 13h18
Por: Nielton Soares
O texto contra o que foi chamado de ‘golpe’ no orçamentário foi aprovado por 268 contra 31 na Câmara e com placar apartado no Senado, 34 a 32 | Foto: reprodução

A maioria dos parlamentares goianos votaram a favor da continuidade do orçamento secreto do Governo Federal no Congresso Nacional. O projeto de resolução que altera as regras das emendas de relator foi aprovada por senadores e deputados federais na noite dessa segunda-feira (29/11).

As novas normas só passam a valer para os recursos que ainda não foram liberados, isto é, o projeto não retroagirá. O texto foi aprovado, primeiro na Câmara dos Deputados, por 268 votos a 31; e depois no Senado, por margem apertada, 34 x 32.

Confira como cada político goiano presente nas sessões votaram no texto contra o orçamento secreto:

Deputados

Favoráveis

  1. Adriano do Baldy (PP-GO)
  2. Alcides Rodrigues (PATRIOTA-GO)
  3. Célio Silveira (PSDB-GO)
  4. Delegado Waldir (PSL-GO)
  5. Dr. Zacharias Calil (DEM-GO)
  6. Francisco Jr. (PSD-GO)
  7. João Campos (REPUBLICANOS-GO)
  8. Jose Mario Schreiner (DEM-GO)
  9. Lucas Vergilio (SOLIDARIEDADE-GO)
  10. Magda Mofatto (PL-GO)
  11. Major Vitor Hugo (PSL-GO)
  12. Professor Alcides (PP-GO)

Contrário

  1. Elias Vaz (PSB-GO)

Senadores

Favoráveis

  • Luiz do Carmo (MDB-GO)
  • Vanderlan Cardoso (PSD-GO)

Contrário

  1. Jorge Kajuru (PODEMOS-GO)

Promulgação

A matéria segue para promulgação na forma do texto substitutivo, apresentado pelo relator no Congresso, o senador Marcelo Castro (MDB-PI), que rejeitou todas as 22 emendas apresentadas. Ele afirmou que as emendas de relator-geral no Orçamento sempre existiram, mas que considera excessivo o volume de recursos dos últimos anos.

Para o senador, o substitutivo dele dará “transparência absoluta” para essas emendas a partir de agora, e limitará o valor delas. O parlamentar explicou que o projeto de resolução busca dar cumprimento à liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido dos partidos Cidadania, PSOL e PSB, sobre o chamado “orçamento secreto”. (Com informações da Agência Senado)

Compartilhe: