Filiação de Bolsonaro engorda bolso de Valdemar Costa Neto e o torna mais poderoso

Postado em: 03-12-2021 às 17h29
Por: Fernanda Santos
Presidente nacional da sigla, o ex-deputado federal está há 30 no partido e se beneficia dos recursos, que deverão crescer 60% com presença de Jair Bolsonaro, em 2022

A presença de Jair Bolsonaro no PL irá deixar o presidente nacional da sigla, o ex-deputado federal Valdemar Costa Neto, ainda mais milionário. Conforme apurado pela revista Crusoé, o próprio dono do partido estima um crescimento de 60% na receita do PL para 2022. Isso, porque o presidente servirá como cabo eleitoral, ajudando a eleger uma bancada robusta no Congresso, trazendo ainda mais dinheiro para os fundos partidário e eleitoral.

Em entrevista para o Correio do Estado, o deputado federal Henrique Catan (PL-MS) afirma que a legenda receberá ao menos 15 filiações de deputados eleitos. “Acredito que vá ser o maior partido do País, pelo que estamos conversando. Há um grande número de parlamentares que devem se filiar, se não neste ato de pronto, resolverão os problemas na Justiça para poder liberar a sua filiação, em torno de 15 ou 20 parlamentares”, disse. Fora isso, o PL deverá arrebanhar milhares de filiações pelo Brasil. Tudo isso representa mais dinheiro no caixa e mais poder para Valdemar. Para Catán, o PL se tornará “o maior partido” e “a sustentação do País”.

De acordo com a Crusoé, o presidente da sigla teria recebido, entre 2018 e 2020, ao menos R$ 1 milhão. Em 2020, ele teria sido “demitido” do PL, onde ganhava salário de R$ 33 mil, e recebeu indenizações trabalhistas no valor de R$ 120 mil. No dia seguinte, Valdemar foi recontratado como prestador de serviço com salário equivalente.

Além disso, o prédio que abriga a sede da legenda em Mogi das Cruzes, de acordo com a revista, é de propriedade do deputado e alugada pelo partido por R$ 20 mil por ano, segundo dados de prestações de contas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Hoje, a propriedade está no nome de sua filha caçula, Catarina.

Em outra informação da prestação de contas, o PL teria adquirido um imóvel no valor de R$ 8,2 milhões, na cobertura do Centro Empresarial Brasl, em nome da Fundação Álvaro Valle, em 2013. Foi lá que Bolsonaro realizou sua cerimônia de posse. O imóvel havia sido vendido pela RPA Construções e Participações, que havia comprado a cobertura no ano anterior por R$ 7 milhões. Depois, a fundação ligada ao PL passou a alugar o local por R$ 50 mil.

Há ainda muito mais apurado pela revista nas prestações de conta, que mostram que Valdemar desfruta de todos os benefícios proporcionados pelos recursos da sigla, que apenas em 2020 somaram R$ 181,4 milhões.

Compartilhe: