Projeto que cria 250 novos cargos no TJGO é alvo de polêmica entre parlamentares na Alego

Projeto tramita na Alego e dividiu opiniões entre parlamentares

Postado em: 15-12-2021 às 17h45
Por: Fernanda Santos
Projeto tramita na Alego e dividiu opiniões entre parlamentares | Foto: Divulgação

Durante sessão híbrida na Assembleia Legislativa de Goiás, nesta quarta-feira (15/12), o deputado Francisco Oliveira (PSDB) defendeu o projeto encaminhado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), que pretende alterar a Organização Judiciária em Goiás. A proposta pretende instalar duas novas câmaras julgadoras no órgão, uma de criminal e outra de cível, com dez cargos de desembargadores, assessorias de gabinetes e secretarias das novas câmaras.

Segundo o parlamentar, o projeto não demanda recursos do Estado. “O Tribunal tem os recursos e o seu próprio meio de efetivamente fazer a criação destes dez cargos de desembargadores”, disse durante a discussão da pauta. Para o peessedebista, os novos cargos irão dar mais eficiência ao atendimento do Tribunal.

Por outro lado, o deputado Humberto Teófilo (sem partido) se manifestou contrário à propositura. “O projeto cria dez cargos de desembargador em um momento tão delicado como o que estamos vivenciando. Também cria outros 277 cargos em comissão. Por outro lado, o Tribunal faz um concurso público para 95 cargos de natureza efetiva”, ressaltou o parlamentar.

Continua após a publicidade

Segundo Teófilo, todos os custos dos novos salários sairão do bolso dos contribuintes, além de auxílio-alimentação, pré-escolar, natalidade, transporte, saúde e outros benefícios pagos. “É inadmissível que a população arque com tudo isso”, arrematou.

Veja Também