Delegado responsável por investigar facada de Bolsonaro é transferido para os Estados Unidos

Postado em: 29-12-2021 às 17h15
Por: Fernanda Santos
Investigações não apontaram mandante para facada ocorrida em setembro de 2018 | Foto: Reprodução/Google

O delegado Rodrigo Morais Fernandes, responsável pela investigação da facada no presidente Jair Bolsonaro, foi designado para trabalhar nos Estados Unidos em uma força-tarefa por dois anos.

A portaria foi assinada pelo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Paulo Maiurino. O cargo deverá ser exercido a partir de fevereiro de 2022, na força-tarefa de El Dorado, no escritório da Homeland Security Investigations (HSI), em Nova York.

Dentro da PF, a transferência é vista como um desejo Fernandes, não como uma mudança forçada.

Facada

Para o Rodrigo Morais Fernandes, não há indícios de mandantes, até o momento, e a facada teria sido planejada e executada apenas por Adélio Bispo, considerado doente mental pela Justiça e, por isso, não pode responder pelo crime.

Em novembro, as investigações foram reabertas, depois que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região autorizou uma investida contra Zanone Manuel de Oliveira Júnior, advogado de Bispo e alvo de busca e apreensão em dezembro de 2018.

Os dados bancários e celular apreendidos com o Oliveira Júnior serão analisados para uma última busca de dados. A PF quer esclarecer os motivos dele ter assumido o caso, já que Bispo não teria condições de pagá-lo.

Com as últimas apurações, o intuito é descobrir se o advogado recebeu de terceiros para defender Bispo ou se havia interesse midiático.

Compartilhe: