Políticos goianos divergem sobre vaga ao Senado: atuais senadores comentam sobre intenções de voto

Pesquisa mais recente mostra que o pré-candidato do PSD, Henrique Mierelles, lidera, até o momento, as intenções de voto no Estado

Postado em: 19-01-2022 às 08h48
Por: Carlos Nathan Sampaio
Pesquisa mais recente mostra que o pré-candidato do PSD, Henrique Mierelles, lidera, até o momento, as intenções de voto no Estado | Foto: Reprodução

Apesar de contar com três cadeiras no Senado, neste ano Goiás elegerá apenas um novo político, já que, dos atuais, quem encerra o mandato é Luiz Carlos do Carmo (DEM), que assumiu em 2019, após Ronaldo Caiado (DEM/União Brasil), de quem era suplente, ser empossado como Governador do Estado. Na pesquisa mais recente, da Voga, Henrique Meirelles (PSD) aparece com 12,2% das intenções de voto, já o segundo colocado é o deputado federal Delegado Waldir (PSL), com 8,9%, seguido por Alexandre Baldy (PP), com 7,4%. Contudo, políticos envolvidos neste cenário debateram sobre o que pensam tanto sobre o que é necessário para Goiás neste momento, em relação a esta nova cadeira “disponível”, quanto o que acham de Meirelles estar à frente nas pesquisas.

Para Luiz do Carmo, que pretende se reeleger, “ainda que tenha que sair em chapa avulsa”, segundo o próprio, as “conquistas” como a aprovação do projeto que garante 30% das vagas no legislativo para mulheres, dentre outras o colocariam como “ideal” para continuar no cargo. “Eu também consegui o aumento de pena nos crimes de latrocínio que passaram de 30 anos para 40 anos, a renegociação da dívida pública do Estado, que permitiu ao Governo de Goiás manter milhares de empregos. Por isso e muito mais sou pré-candidato à reeleição, para que possa continuar esse trabalho, trazendo ainda mais desenvolvimento para nossa gente”, afirmou.

Para o parlamentar, eleger Henrique Meirelles, que está à frente nas pesquisas, é algo “apenas para usar os goianos mais uma vez para ter acesso ao poder”. “Na última vez, em 2003, foi eleito Deputado Federal e sequer assumiu o mandato,foi assumir um Ministério no Governo Lula”, lembrou.

Continua após a publicidade

Neste mesmo sentido, o senador Jorge Kajuru (Podemos), disse à reportagem que Meirelles não tem “capacidade”. “Nós sabemos que ele é banqueiro, ele só pensa em bancos e nos banqueiros e isso é muito triste para Goiás”, afirmou. Para a vaga ao Senado, o parlamentar disse que está pessimista: “infelizmente Goiás vai eleger um Senador igual ao Vanderlan Cardoso e o Luiz do Carmo, gastando dinheiro público, tomando posições horrorosas, votando contra o povo e a favor do governo em troca de orçamento secreto, é isso que vai acontecer”, disse.

Também, concordando que não é a melhor opção, o ex-candidato ao Senado em 2018, Fabrício Rosa (PSOL), disse que Meirelles “não conhece Goiás”. “Não vive aqui há várias décadas e usa o estado para seu projeto pessoal de poder, passando por aqui por ocasião do período eleitoral. O fato de ele ocupar o primeiro lugar nas pesquisas para o Senado em Goiás é apenas uma confirmação da força do dinheiro e dos velhos conchavos políticos em nossa democracia”. 

Para Fabrício, ninguém sabe quais os projetos de Meirelles para Goiás. “O Brasil e Goiás passam por uma crise aguda e somente um projeto calcado em bases sólidas pode nos tirar desse atoleiro. Não se faz mais política sem dados”, concluiu. A ex-senadora Lúcia Vânia (PSB) e o possível candidato Henrique Meirelles também foram procurados pela reportagem, mas não responderam ou não atenderam às ligações até o fechamento desta matéria.

Veja Também