Rogério Cruz exonera servidora após crítica em faixas erguidas em condomínio

Servidora foi exonerada do cargo de assessora especial da Procuradoria-Geral do Município no dia 9 de fevereiro,dois dias depois de ter autorizado a instalação de faixas com críticas ao prefeito Rogério Cruz e à primeira-dama

Postado em: 16-02-2022 às 08h04
Por: Yago Sales
Servidora foi exonerada do cargo de assessora especial da Procuradoria-Geral do Município no dia 9 de fevereiro,dois dias depois de ter autorizado a instalação de faixas com críticas ao prefeito Rogério Cruz e à primeira-dama | Foto: Reprodução

Servidora da Secretaria Municipal de Educação (SME) de Goiânia, Adriana Rodrigues Coelho Rabello, que também é síndica do Jardins Atenas, foi exonerada do cargo de assessora especial da Procuradoria-Geral do Município no dia 9 de fevereiro ,dois dias depois de ter autorizado a instalação de faixas com críticas ao prefeito Rogério Cruz e à primeira-dama, Thelma Cruz. Adriana também é advogada.

Adriana Rodrigues é servidora da SME há 23 anos, dos quais há mais de 20 não frequentava uma escola por ter sido colocada à disposição para outros órgãos nos últimos anos. O imbróglio teve início desde que condomínios da capital goiana passaram a se manifestar contra o aumento do IPTU e ITU erguendo muros e árvores faixas cobrando dos vereadores e do prefeito Rogério Cruz. 

Segundo Adriana, quando chegou para trabalhar percebeu algo estranho e até a procuradora-geral, Tatiana Accioly Fayad, demonstrou surpresa com a exoneração. “Eu exercia um cargo de confiança, recebia uma gratificação que não passava de R$1 mil. Eles me disseram que a decisão partiu do prefeito e era irreversível”, relata ela com exclusividade para o jornal O Hoje. 

Continua após a publicidade

Ontem o condomínio chegou a ser notificado e multado. Com isso, ao contrário de colocar servidores da Amma para fazê-lo, o condomínio retirou as faixas que classificavam o prefeito Rogério Cruz como “crucificador” e que ali a primeira-dama, Thelma Cruz, não teria votos para o cargo de deputada estadual.

“Por  sermos de um condomínio, a gente não dá despesa nenhuma. A gente paga até a coleta de lixo. Pagamos duas vezes mais caro e ainda pagamos o condomínio”, ressalta ela. 

O prefeito Rogério Cruz e seu secretariado devem se reunir nesta quarta-feira (16), a partir das 8h30, na sede do Sindicato das imobiliárias e condomínios do Estado de Goiás (Secovi), com presidentes de associações de condomínios. 

Adriana disse ao jornal O Hoje que não vai por estar abalada psicologicamente. A reportagem procurou a assessoria de imprensa do prefeito Rogério Cruz, que respondeu sobre o motivo da exoneração da servidora com apenas duas palavras: “Não procede”.

Veja Também