Troca na Segov mostra força dos vereadores e da população

Rogério Cruz decidiu tirar Arthur Bernardes da pasta, que será comandada interinamente por Michel Magul.

Postado em: 21-02-2022 às 08h46
Por: Marcelo Mariano
Rogério Cruz decidiu tirar Arthur Bernardes da pasta, que será comandada interinamente por Michel Magul | Foto: Reprodução

Tudo começou quando Fabio Cammarota pediu para sair do Escritório de Prioridades Estratégicas, que tem status de secretaria, sob a justificativa de que recebeu convites para participar de campanhas eleitorais em outros estados.

Cammarota, vale lembrar, acumula experiência na área. Ele foi um dos responsáveis pela elaboração do plano de governo de Maguito Vilela, prefeito eleito de Goiânia em 2020, mas que faleceu, no início do ano seguinte, em decorrência de complicações da Covid-19, e deu lugar ao seu vice, Rogério Cruz.

A saída de Cammarota forçou mais uma de tantas mudanças no primeiro escalão do Paço Municipal. Cruz, já acostumado a lidar com certa instabilidade de seus auxiliares, viu nessa possibilidade a chance de ir além.

Continua após a publicidade

Bernardes esteve no centro da crise entre Cruz e Daniel Vilela, presidente estadual do MDB e filho de Maguito, que culminou na ruptura entre ambos, em abril de 2021. O grupo vilelista alegava interferência nos rumos da gestão por parte do presidente do Republicanos no Distrito Federal, Wanderley Tavares.

A insatisfação com a interferência da cúpula do Republicanos em Brasília não era só do grupo ligado a Daniel. Alguns vereadores também compartilhavam do mesmo pensamento. Bernardes, contudo, conseguia articular para evitar maiores problemas com a Câmara Municipal.

A primeira foi exonerar Marcos Teixeira da Secretaria de Comunicação (Secom) com o objetivo de melhorar as campanhas publicitárias sobre o assunto. Ele era um desafeto de Bernardes, que venceu essa batalha, mas, mesmo assim, continuou na mira dos vereadores.

O prefeito de Goiânia não tirou Bernardes do Paço Municipal e apenas o deslocou para outra secretaria. No entanto, trata-se de uma movimentação que pode ser suficiente para acalmar parte da Câmara Municipal.

Para comandar o Segov, por enquanto, Cruz escolheu Michel Magul, visto como um dos aliados mais fiéis ao prefeito, que está à frente da Secretaria de Desenvolvimento e Economia Criativa (Sedec) e acumulará as duas funções interinamente.

Magul tem chance de permanecer de maneira definitiva, mas há outros nomes especulados, até mesmo de Brasília. De qualquer forma, há quem acredite que, embora passe a estar com menos holofotes, Bernardes tende a seguir como homem forte.

Além de mostrar que Cruz é capaz de ceder, a troca na Segov, portanto, evidencia a força dos vereadores e da população. Por outro lado, caso Bernardes e Tavares continuem como figuras influentes, é possível imaginar novos desgastes com a Câmara Municipal, ainda mais se voltar a ter pressão popular em um ano eleitoral.

Veja Também