Emedebistas devem coordenar recrutamento de vereadores para base caiadista

Ex-secretário de Governo de Iris Rezende, Paulo Ortegal, é um dos principais cotados para assumir a missão

Postado em: 25-02-2022 às 09h01
Por: Felipe Cardoso
Ex-secretário de Governo de Iris Rezende, Paulo Ortegal, é um dos principais cotados para assumir a missão | Foto: Reprodução

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) segue trabalhando para aglutinar forças para seu projeto de reeleição. Pensando nisso, a leitura nos bastidores é de que o mandatário está prestes a dar início a uma articulação mais intensa junto aos vereadores da Câmara Municipal de Goiânia. A investida, porém, deverá ser comandada pelo time emedebista ligado a Daniel Vilela. 

O nome de Caiado já foi avalizado pelo prefeito da Capital, Rogério Cruz (Republicanos). Na última segunda-feira, 21, o republicano declarou à imprensa local que caminhar separado do governo seria “muito ruim” endossando, consequentemente, o projeto encabeçado por Caiado com foco na continuidade de seu mandato. 

Num cenário de eventual alinhamento entre os chefes dos poderes estadual e municipal, Rogério talvez pudesse ser visto como peça chave no processo de convencimento dos vereadores. Acontece que, conforme mostrado pelo O Hoje, o prefeito deve enfrentar dificuldades para lidar até mesmo com os mais próximos. Como bem destacou o jornalista Marcelo Mariano na edição da última quinta-feira (24/2), as declarações do prefeito em apoio a Caiado pegaram mal entre alguns nomes específicos do alto escalão do Paço. 

Continua após a publicidade

A secretária de Relações Institucionais, Valéria Pettersen (MDB), foi vista nos corredores da Prefeitura de Aparecida de Goiânia, cidade   administrada   pelo  governadoriável Gustavo Mendanha (sem partido) logo depois da colocação do prefeito. O  secretário-executivo   da Secretaria de Desenvolvimento e Economia Criativa (Sedec), Tiãozinho   Porto   (MDB),   também estava presente. Quem os viu, disse que os dois estavam com “cara de preocupados”. 

Mas não apenas esses dois nomes devem ir na contramão de Cruz nas eleições deste ano. O  secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Zé Antônio; o presidente   da   Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer, Valdery Júnior;  e o   secretário extraordinário de Assuntos Comunitários  da   Prefeitura de Goiânia, Felizberto Tavares, também estão entre aqueles que demonstram preferência pelo nome Mendanha. 

Se para Cruz a situação é complicada dentro da própria casa, quem dirá no Poder vizinho onde os vereadores seguem de orelha em pé com a prefeitura de Goiânia. O cenário nebuloso está diretamente relacionado às diversas pautas que o Executivo empurrou goela abaixo na Câmara. Dentre elas o novo Código Tributário de Goiânia, responsável pelo aumento do IPTU de boa parte dos goianienses, que certamente custará caro para muitos vereadores que pretendem alçar voos maiores a partir das eleições deste ano. 

Em um cenário onde a prefeitura mais atrapalha do que ajuda, não restam escolhas a não ser terceirizar a tarefa. E quem tende a assumir essa missão são os emedebistas, encabeçados por Daniel Vilela.

A princípio, antes mesmo do desgaste do atual prefeito se tornar algo tão evidente no Legislativo, o papel teria sido atribuído ao ex-vereador Paulo Magalhães que apresentou, de lá para cá, pouca ou nenhuma eficácia. “Ele é fraco de prosa. Não conseguiu levar ninguém [para o governador]. Esse trabalho deve ser encabeçado por alguém que saiba falar a língua dos vereadores, alguém indicado pelo Daniel”. 

Paira no ar uma expectativa de que essa missão possa ser encabeçada por Paulo Ortegal. Ele, que é ex-secretário de governo de Iris Rezende, foi incumbido recentemente de integrar o conselho de Administração do Governo. Ortegal deve atuar ao lado de Lívio Luciano e outros nomes caiadistas pelos próximos meses. 

“Apesar dos sinais, a minha avaliação é de que esse não é o momento certo para o governador entrar aqui [na Câmara]. Os vereadores ainda estão jogando. Aqui é leilão e o pessoal está querendo negociar. Tem que vir com cautela”, disse, em off, um dos vereadores consultados. 

Dentre eles, há quem arrisque, inclusive, que a missão de convencimento dos vereadores poderá ser encabeçada pelo próprio pré-candidato a vice-governador na chapa caiadista, Daniel Vilela.

Veja Também