Vereadora cria Frente Intermunicipal pelo Fim da Violência Política de Gênero

Lançamento da Frente ocorre no mesmo dia em que a vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, foi morta a tiros na região central da cidade, em 2018

Postado em: 14-03-2022 às 09h31
Por: Felipe Cardoso
Lançamento da Frente ocorre no mesmo dia em que a vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, foi morta a tiros na região central da cidade, em 2018 | Foto: Reprodução

As tentativas de “silenciar mulheres” e “impedir a atuação feminina em espaços de poder” levaram a vereadora Aava Santiago (PSDB) a criar uma Frente Intermunicipal pelo Fim da Violência Política de Gênero. O ato de criação da Frente será sediado no plenário na Câmara Municipal de Goiânia nesta segunda-feira (14/3).

Na ocasião, será assinada uma carta-manifesto entre prefeitas, deputadas, vereadoras, defensoras públicas e outras profissionais de todo o Estado, com a intenção de conscientizar a população sobre a opressão que as mulheres enfrentam quando ocupam ou buscam ocupar cargos públicos.

Previsto para as 9h, o lançamento da Frente ocorre no mesmo dia em que a vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, foi morta a tiros na região central da cidade, em 2018. Dessa maneira, a união das parlamentares busca resgatar o simbolismo da data em favor dos direitos políticos das mulheres. 

Continua após a publicidade

Ainda nessa perspectiva, Aava também é autora de um projeto de lei, aprovado em primeira votação na Câmara, que inclui no Calendário de Eventos de Goiânia o Dia Marielle Franco de Enfrentamento à Violência Política de Gênero. A intenção é mobilizar a sociedade em torno da causa. 

A criação da Frente integra a programação Dias Mulheres Virão no mês da mulher. As atividades começaram no dia 4 e se estendem até 26 de março. Foram realizadas ações direcionadas à promoção da dignidade menstrual e ao combate à violência contra a mulher, e estão previstas atividades de promoção social e saúde. 

Toda a programação é gratuita, realizada com a colaboração de voluntários e em parceria com órgãos da Câmara Municipal: a Ouvidoria da Mulher, a Escola do Legislativo e as Comissões de Educação e de Direitos Humanos.

“Nossa expectativa é fazer reverberar em todas as mulheres atendidas e envolvidas nessa programação a força que temos para agir com total autonomia e ocuparmos todos os espaços que quisermos e que nos é de direito, livres de qualquer tipo de opressão”, argumenta a vereadora. 

Veja Também