Goiás tem o menor número de adolescentes que tiraram título de eleitor desde 1994

Quantidade de jovens aptos a votar no Estado no pleito de outubro é menor do que nas últimas sete campanhas nacionais

Postado em: 23-03-2022 às 23h14
Por: Augusto Diniz
Quantidade de jovens aptos a votar no Estado no pleito de outubro é menor do que nas últimas sete campanhas nacionais | Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Goiás tem 35.143 eleitores adolescentes com título de eleitor, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de fevereiro de 2022. O número é menor do que o total de eleitores com 16 e 17 anos nas últimas sete eleições nacionais, quando são escolhidos o presidente da República, o governador, senador, deputado federal e deputado estadual. São 10.563 pessoas aptas a votar com 16 anos e 24.580 com 17.

Nessa idade, a pessoa não é obrigada a votar. A escolha é facultativa antes de completar 18 anos. O percentual de fevereiro do eleitorado adolescente em Goiás é de 0,99% do total de 4.722.011 pessoas com situação regularizada do título de eleitor no Estado. Vale lembrar que a data para deixar em dia a situação e poder votar no dia 2 de outubro vai até 4 de maio. O requerimento pode ser feito via internet, no site do TSE.

Só para se ter uma ideia da queda de adolescentes de 16 e 17 anos nas eleições nacionais e estaduais, em 1994, primeiro pleito com dados do eleitorado nessa faixa etária, 68.782 estavam aptos a votar. O total representava 2,62% do eleitorado goiano. Em seguida, no ano de 1998, os adolescentes representavam 2,11% dos eleitores do Estado, com participação de 62.284.

Continua após a publicidade

Quatro anos depois, em 2002, os adolescentes eram 74.269 com título de eleitor. O percentual era de 2,2% do eleitorado de Goiás. Em 2006, o número caiu para 62.517, com 1,68% de quem podia votar no Estado. No ano de 2010, a conta subiu para 65.839 pessoas com 16 ou 17 anos – 1,62% dos eleitores.

O total de jovens com 16 e 17 anos despencou para 47.995 com título de eleitor em outubro de 2014, o que significava 1,11% do eleitorado goiano. Na eleição de 2018, a última para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual, Goiás tinha 44.061 adolescentes que queriam votar, o que dava 0,74% de quem podia votar há quatro anos.

Campanha de incentivo

De olho no estímulo à participação dos adolescentes nas eleições, o deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania) apresentou um projeto de lei que prevê a criação de uma campanha em Goiás para conscientizar a população jovem do Estado sobre a importância do voto. “Fizemos um levantamento comparando os registros do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com os últimos dado do Censo em Goiás e estimamos que somente 15% das pessoas com 16 e 17 anos tiraram seu título de eleitor.”

O deputado disse que o índice muito baixo precisa ser mudado com participação e mais efetiva dos adolescentes nas eleições. “Começaremos já uma ampla campanha em nossas redes sociais estimulando o alistamento eleitoral dessa moçada. E, no âmbito da Alego [Assembleia Legislativa], propusemos a criação de uma campanha oficial específica com esse fim”, explica Virmondes.

O Projeto de Lei número 1.126, de 16 de março de 2022 (1.126/22) prevê que a campanha de conscientização sobre a importância do voto entre adolescentes seja encampada em todos os meses de março pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc) em parceria com o TRE-GO. “Mas fica também a sugestão para que outros órgãos, entidades e veículos de comunicação participem”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Virmondes, a ideia é fazer com que a opinião do adolescente chegue até a urna, “que é o que interessa para consolidar a democracia”. “Com o título de eleitor nas mãos, os jovens de 16 e 17 anos terão a oportunidade de expressar sua visão de mundo por meio do voto. Como a grande maioria deles está nas escolas, tem condições de ajudar a sociedade a investigar e escolher os melhores candidatos.”

No Brasil

Em fevereiro, o TSE verificou a menor quantidade de adolescentes de 16 e 17 anos com título de eleitor desde a redemocratização. A Justiça Eleitoral contabiliza pouco mais de 830 mil jovens que optaram por votar em 2022 até agora. Em 2018, mais de 1,4 milhão de pessoas nessa idade escolheram participar das eleições nas urnas.

O Brasil conta com mais de 6 milhões de adolescentes nas idades de 16 e 17 anos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número atinge 13,6% da faixa etária com título de eleitor. Esse percentual era de 23,3% há quatro anos. Em 2022, até o momento, o número de eleitores adolescentes está menor em aproximadamente 30 mil pessoas. O percentual, assim como em Goiás, em todo o Brasil fica abaixo de 1% do eleitorado.

Veja Também