Em fevereiro, setor agropecuário criou mais de 3 mil empregos em Goiás

Postado em: 30-03-2022 às 08h48
Por: Redação
O segmento agroindustrial de fabricação de produtos alimentícios registrou saldo positivo de 2.713 vagas | Foto: Reprodução

As atividades agropecuárias foram responsáveis pela criação de 3.049 vagas formais de trabalho em fevereiro no Estado. De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência, houve 7.004 admissões e 3.955 desligamentos no período. Os dados extraídos do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgados nesta terça-feira (29/3), mostram que os segmentos que mais contribuíram para o resultado foram a produção de lavouras temporárias (1.415 vagas) e as atividades de apoio à agricultura e à pecuária (1.313).

“Como já é tradicional, os cultivos de soja, cana-de-açúcar e outros cereais lideraram a criação de empregos em fevereiro, ao lado da pecuária, mas é possível notar outras atividades desempenhando papel relevante, como a produção de sementes e mudas certificadas e a produção florestal”, pontua o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. Ele lembra que o setor agropecuário foi o segundo setor que mais criou empregos este ano no Estado. Foram 5.768 vagas formais apenas em janeiro e fevereiro. “São famílias que estão conseguindo uma vida melhor a partir do campo. Isso mostra a importância não só econômica, mas também social do agro”, ressalta.

Ainda segundo o Novo Caged, nos últimos 12 meses (de março/21 a fevereiro/22), o campo goiano criou 9.155 postos formais de trabalho. Foram 49.589 admissões e 40.434 desligamentos. Entre os segmentos que mais criaram empregos no período estiveram: produção de lavouras temporárias (3.998 vagas), pecuária (1.915), atividades de apoio à agricultura e à pecuária (1.701) e produção de sementes e mudas certificadas (901).

O segmento agroindustrial de fabricação de produtos alimentícios registrou saldo positivo de 2.713 vagas formais de trabalho nos últimos 12 meses. Os maiores destaques foram as atividades de “abate e fabricação de produtos de carne” (1.469 vagas), “fabricação de outros produtos alimentícios” (611) e “fabricação e refino de açúcar” (422).

Goiás lidera no Centro-Oeste

Goiás registrou saldo positivo na geração de empregos em fevereiro de 2022. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ligado ao Ministério da Economia, foram criadas 17.562 novas vagas com carteira de trabalho assinada no segundo mês do ano. O resultado, fruto de 76.489 admissões e 58.927 desligamentos, evidencia a retomada econômica do Estado.

Somando os dados de janeiro e fevereiro, Goiás confirma a geração de 30.038 novos empregos no ano de 2022, quando foram registradas 149.054 admissões frente a 119.016 desligamentos. Dessa forma, o Estado volta a ocupar a primeira posição na Região Centro-Oeste e 6ª posição nacional, ficando atrás apenas de São Paulo (142.513), Santa Catarina (51.906), Paraná (47.804), Rio Grande do Sul (42.841) e Minas Gerais (35.087).

O governador Ronaldo Caiado destaca a capacidade do Estado na geração de empregos. “Neste momento é fundamental que tenhamos a consciência de que Goiás tem tudo para alavancar cada vez mais e oportunizar empregos para a população do Estado neste momento da retomada”, afirma.

O secretário Joel Sant’Anna, titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), avalia os números e vê uma reação rápida da economia goiana nesse período pós-pandemia. E destaca que os avanços na geração de empregos se devem graças às ações do Governo de Goiás para promover a retomada de maneira segura e proativa.

O secretário Joel Sant’Anna, titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), avalia os números e vê uma reação rápida da economia goiana nesse período pós-pandemia. E destaca que os avanços na geração de empregos se devem graças às ações do Governo de Goiás para promover a retomada de maneira segura e proativa.

“Sempre acreditei que as medidas ajustadas pelo governo do Estado, desde o início da pandemia, ainda em 2020, seriam fundamentais para o reequilíbrio das empresas com a retomada dos empregos, e são vagas criadas com carteira assinada”, destacou o secretário.

Vagas por setor

Na distribuição das vagas por setor, o de Serviços se destacou no mês de fevereiro, com a criação de 8.798 empregos gerados, seguido por Agropecuária (3.049), Indústria (2.053), Construção (1.994) e Comércio (1.668).

No período acumulado do ano (janeiro e fevereiro), o setor de Serviços continua na ponta com 15.166 novos empregos, seguido por Agropecuária (5.768), Construção (3.950), Indústria (3.412) e Comércio (1.742).

Entre os municípios que mais geraram empregos no mês de fevereiro, destaque para Goiânia, com 6.619 novas vagas, seguido por Aparecida de Goiânia (1.409), Cristalina (600), Rio Verde (559) e Anápolis (468).

Compartilhe: