Vereador de Palmas ameaça “dar lapada” em secretária municipal durante discurso na Câmara; assista

Postado em: 08-04-2022 às 10h45
Por: Jennifer Neves
O que teria motivado a fala de Eudes Assis foi a falta de um convite para participar da sanção da legislação do Conselho e do Fundo de Inovação e Desenvolvimento Econômico | Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (06/04), o vereador de Palmas, Eudes Assis (PSDB-TO), afirmou em discurso durante sessão ordinária na Câmara dos Vereadores, que daria “uma lapada” na secretária de Desenvolvimento Econômico do município, Mila Jaber.

“Eu fico indignado com essa mulher, e falei para o secretário de Governo ontem que pode dar o que dar que hoje eu iria dar uma lapada nela para respeitar o vereador. Você é uma mentirosa.”

O que teria motivado a fala do vereador foi a falta de um convite para participar da sanção da legislação do Conselho e do Fundo de Inovação e Desenvolvimento Econômico, assunto que é tramitado com urgência na Casa e tratado como prioridade entre os vereadores. 

“Fez compromisso aqui com a gente e depois não cumpre. Eu deixo minha indignação hoje nessa tribuna para essa secretária. Ela nunca teve um voto para poder estar onde está. Eu gostaria de ver essa mulher na planície pedindo votos, igual nós fomos para ver se ela consegue um voto. O tanto que ela é chata, incompetente”, disse o parlamentar. 

A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), mesmo partido do vereador, fez uma publicação em sua conta no Twitter em defesa à secretária. “Só é valente com mulher? Século 21 e assistimos a lamentável cena de um parlamentar aos berros, desqualificando uma mulher. Será que engrossaria a voz e daria uma lapada num macho? Ou só banca de valente porque manda o recado para uma mulher? Não admito desrespeito com os meus. Muito menos com uma mulher”, escreveu a tucana. 

Outro episódio

Em Goiânia, um caso parecido aconteceu na última terça-feira (05/04), com a vereadora Aava Santiago (PSDB). Naquele dia, foi convocada uma reunião para discorrer sobre a greve dos professores da rede municipal, que estavam paralisados para reivindicar um reajuste de 33,24% do piso salarial e atendimento de qualidade no Instituto Municipal de Assistência à Saúde dos Servidores de Goiânia (Imas). 

A vereadora, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, estava em discurso, quando outros vereadores, aos gritos, interromperam a reunião. Por meio de sua conta no Instagram, Aava Santiago publicou um vídeo do acontecimento e disse que foi um ato claro de misoginia e violência política de gênero. “Chegaram em grupo para me intimidar e tumultuar o trabalho para o qual eu fui eleita (inclusive por eles). Alguma dúvida de que não fariam isso se o presidente fosse homem?”, escreveu.

Compartilhe: