Major Vitor Hugo diz que desunião do PL prejudicava presidente

Postado em: 14-05-2022 às 11h48
Por: Thauany Melo
Além disso, o parlamentar disse que, se eleito governador, pretende fazer um “revogaço” de decretos que dificultam a vida dos goianos e “ajudar a economia”

O Partido Liberal em Goiás organiza um encontro nacional neste sábado (14). Marcado para ocorrer na Chácara Engenho, no setor Sul, em Goiânia, às 10h, o evento acontece dias após o deputado federal e pré-candidato a governador Major Vitor Hugo assumir o comando do partido no estado em meio a divergências dentro da sigla.

Com a confirmação da pré-candidatura de Vitor Hugo imposta no PL goiano pelo presidente Jair Bolsonaro, houve um estremecimento nas relações internas do partido. Os ex-dirigentes Flávio Canedo e Magda Mofatto direcionaram apoio ao também pré-candidato a governador, Gustavo Mendanha (Patriota), em detrimento ao peelista. Nesse contexto, a liderança de Vitor Hugo vem como uma tentativa de contornar o racha dentro da legenda. Ao O Hoje, o parlamentar afirmou que a “desunião do partido prejudicava o presidente” e que pretende, no comando, aplacar esses conflitos.

Governo

Major Vitor Hugo (PL) é o pré-candidato ao Governo de Goiás com apoio do presidente Jair Bolsonaro, da mesma legenda. Militar e natural de Salvador (BA), o parlamentar foi eleito para a Câmara dos Deputados em 2018 e chegou a presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Questionado sobre seu plano de governo, o major afirmou que pretende seguir o caminho do chefe do Executivo.

“A nossa estratégia é mostrar um plano de opções para Goiás. Alinhado com o presidente, vamos projetar o estado”, afirmou o peelista, que está de olho no mesmo pedaço de bolo que Gustavo Mendanha (Patriota) e o governador Ronaldo Caiado (UB): o eleitor de direita.

Além disso, o parlamentar disse que, se eleito governador, pretende fazer um “revogaço” de decretos que dificultam a vida dos goianos e “ajudar a economia”. Ele ressaltou também que pretende lutar para ampliar o número de deputados do PL na Assembleia Legislativa de Goiás ( Alego).

Nas pesquisas, o nome de Vitor Hugo ainda não ascendeu. Na avaliação feita no início do ano pela Acieg, juntamente com o Serpes Pesquisas de Opinião e Mercado, o atual governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), lidera as intenções de votos para a corrida para o cargo de governador com 37,1%. Em sequência aparecem Marconi Perillo (PSDB), com 14,1%, Gustavo Mendanha (MDB), com 13%, Major Vitor Hugo (PSL), com 2,6%, Jânio Darrot (Patriota), com 1,4%, e Wolmir Amado (sem partido), com 0,4%.

Já o apoio de Bolsonaro a Vitor Hugo pode ser lido como positivo. Apesar do presidente estar “aos trancos e barrancos” na intenção de voto, uma pesquisa da Quaest Consultoria, contratada pela Genial Investimentos, mostrou que há uma recuperação do presidente na Região Centro-Oeste, tanto na aprovação do governo quanto nas intenções de voto. Bolsonaro alcança no Centro-Oeste o maior índice de aprovação da gestão, que segue estável em 30%. A região é a única em que Bolsonaro lidera com subida de 32% para 49% das intenções. Já o ex-presidente Lula caiu da liderança, de 42% para 31%.

Compartilhe: