Suspeita de seguranças mascarados nas Cavalgadas é fake news, diz base

Postado em: 08-06-2022 às 09h34
Por: Felipe Cardoso
Vídeo de supostos seguranças do governador Ronaldo Caiado (UB) que impedem protesto, circula nas redes sociais | Foto: Reprodução

Circula nas redes sociais um vídeo onde supostos seguranças do governador Ronaldo Caiado (UB) impedem um protesto nas Cavalhadas de Pirenópolis no último final de semana. O assunto tomou conta das discussões da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) durante sua primeira sessão após o retorno do final de semana. O deputado oposicionista Gustavo Sebba (PSDB) foi quem puxou a discussão dizendo que Caiado teria enviado policiais do gabinete militar do Palácio ao encontro. As falas, no entanto, foram rebatidas por deputados da base. 

Na tribuna, Sebba disparou: “Ele [o governador] sabia muito bem que não seria bem recebido. Podem reparar que ele não aparece mais em lugares com muitas pessoas. Em Pirenópolis, ele pegou meia dúzia de policiais do gabinete  [para acompanhá-lo]. Temos a melhor polícia do Brasil, mas infelizmente também temos meia dúzia de cidadãos que se submetem a esse tipo de ação”. 

Segundo o parlamentar, os militares enviados pelo governo estavam ‘à paisana’, armados com spray de pimenta e cassetetes. “E ele mostrando nas redes sociais sua recepção, com essa meia dúzia de bobos batendo palmas para ele”, acrescentou. O parlamentar lamentou a confusão gerada pelos grupos opositores presentes no local. “Tomaram as faixas de apoio ao ex-governador [Marconi Perillo]. E o pior: a polícia fardada estava lá, viram e não fizeram nada por receio de represálias do governo”. 

Não é bem assim

Na contramão, o deputado e líder do governo, Bruno Peixoto (UB) disse que o governo, em momento algum, impediu qualquer manifestação. “Independentemente de ser favorável ou contrária. Não agimos assim. Tentaram promover uma fake news que acabou caindo por terra. Nosso governo é íntegro, transparente e permite manifestações. Seu pronunciamento não procede com a verdade dos fatos”, disse o parlamentar que acusou Sebba de agir de maneira caluniosa contra o governador. 

Outro a se levantar contra o discurso do tucano foi o deputado Amauri Ribeiro (UB). Ao discursar, o parlamentar pediu que a técnica do Legislativo exibisse um vídeo onde o ex-governador Marconi Perillo protagoniza um desentendimento em um evento, no ano de 2011, em Catalão.

“Eu fiz questão de colocar esse vídeo para mostrar a diferença. Marconi tentou agredir o presidente das Congadas simplesmente porque ele não quis citar o seu nome. Ele foi convidado, inclusive, a se retirar do palco. Isso tudo em uma missa. Quem são vocês para falarem que o Marconi respeita as Cavalhadas e as pessoas. Não vi nenhum vídeo onde o governador Ronaldo Caiado tenha ameaçado ou mandado bater em alguém”, disparou. 

O que houve, na interpretação do parlamentar, foi um conflito entre os defensores de Caiado e Marconi. “É como se quisessem acusar o governador por uma briga de torcidas. Ele ficou sabendo dessa situação muito tempo depois e agora vocês estão o taxando de culpado. Vocês precisam olhar para trás e ver o que o ex-governador fez em uma missa em cima do palco. Foi uma discussão entre torcidas que resultou em uma discussão abafada por quem estava alí”, pontuou o deputado. 

A confusão ocorreu durante a apresentação dos Cavaleiros Cristãos. Na ocasião, supostos seguranças teriam agido com violência e disparado spray de pimenta para impedir que alguns mascarados ocupassem o local com faixas de protesto.

Compartilhe: