Bancadas do PSDB de Goiás é esvaziada

Postado em: 16-06-2022 às 09h05
Por: Redação
Assembleia Legislativa de Goiás, que contava com seis tucanos, hoje tem apenas três nomes do partido | Foto: Reprodução

Nas eleições de 2018, as candidaturas do PSDB foram soterradas. Com José Eliton na disputa para governador, Marconi Perillo para senador e Célio Silveira para a Câmara dos Deputados, a sigla só conseguiu eleger o último. Para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), no entanto, o resultado foi promissor, com o partido chegando a uma bancada de seis deputados estaduais – hoje reduzidos a três, após uma debandada de nomes para a base do atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB).

Quando Caiado era senador, em 2017, o atual deputado federal Célio Silveira chegou a dizer nas redes sociais que ele não tinha “trabalho algum e nem obras no Entorno de Brasília”. Hoje o ex-tucano, que em abril se filiou ao MDB, partido do pré-candidato a vice-governadoria na chapa de Caiado, Daniel Vilela, caminha com o governador, sob justificativa de que o ubista é forte na região, que compõe a base do eleitorado dele.

Célio Silveira chegou a qualificar, em discurso feito na tribuna, que a gestão de Caiado é de “seriedade, competência e eficiência.” Segundo ele, o atual governador vem trabalhando e tentando fazer o melhor para a população goiana. “O Governo de Goiás está redondo e dando continuidade ao trabalho elaborado e pensado pelo governador Ronaldo Caiado e sua equipe. Eu tenho muita tranquilidade de estar com Ronaldo Caiado”, afirmou.  O parlamentar também chegou a dizer que acredita que a atual gestão estadual é a melhor que a sociedade goiana já viu e citou a Segurança Pública como exemplo. 

Quando era deputado estadual, em 2020, o atual prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto (União Brasil) deu a largada na Alego e trocou o PSDB pelo partido do governador, União Brasil. Também ex-PSDB, o deputado estadual Francisco Oliveira reforçou a base do governo neste ano e se filiou ao MDB.

Apesar de, anteriormente, ser oposição, Oliveira costumava deixar um pé do outro lado. Ainda quando ele estava no PSDB, disse que tinha muitos pensamentos parecidos com o governador, atrelando o seu posicionamento a “mudanças de paradigma”.

Antes líder da oposição na Alego, o deputado estadual Talles Barreto foi o último a deixar o PSDB para se filiar ao União Brasil. Quando tucano, o parlamentar tecia duras críticas à gestão de Caiado, chegando a classificar o governo como “pífio” e afirmar que nem os próprios aliados conseguiam destacar ações positivas de Caiado. “Subiram vários parlamentares aqui da base do governo e não vi nenhum falando coisas positivas deste governo. É um governo pífio, vergonhoso”, disse durante o Pequeno Expediente da Alego no dia 18 de junho de 2019.

Em fevereiro de 2021, Barreto criticou Caiado sobre a gestão durante a pandemia, ressaltando que o governador é médico. “Nós entramos em lockdown em Goiás no dia 19 de março do ano passado e o Governo não planejou de forma organizada esse isolamento. Eu fico triste, pois Goiás poderia ter saído na frente e ter sido referência em toda a América do Sul, mas não saímos”, afirmou.

Se antes crítico assíduo, hoje o parlamentar acompanha o governador e comemora quando a gestão recebe apoiadores. “Goiás não tem praia, mas Trindade hoje foi tomada pelo ‘mar de gente’ que apoia a gestão do nosso governador Ronaldo Caiado. Tivemos a participação de prefeitos dos 4 cantos do Estado, presença maciça de lideranças que acreditam que Goiás está nos trilhos do desenvolvimento com a gestão do União Brasil. Vamos juntos por um Estado cada vez melhor para todos nós”, escreveu nas redes sociais, em referência ao encontro do União Brasil realizado no último 8 de junho.

Compartilhe: