Depois que se perde uma filho

A vida tem seus mistérios, outros planos e, de repente, vem uma brusca interrupção

Postado em: 04-07-2022 às 08h40
Por: Redação
A vida tem seus mistérios, outros planos e, de repente, vem uma brusca interrupção | Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Wilson Silvestre

O nascimento de um filho é festivo, ruidoso, comemorado e partilhado com todos, família e amigos. Representa o legado da união entre duas pessoas com educação e cultura diferentes, mas que projetam o futuro tendo esse elo como segurança de que nada vai separá-los. Pai e mãe tornam-se coadjuvantes na vida desse ser que em determinado momento, ganha o mundo e voa em busca de sonhos. Mas a vida tem seus mistérios, outros planos e, de repente, vem uma brusca interrupção, levando expectativas e planos, deixando no lugar a dor e a sensação de impotência e fragilidade.

O cidadão Ronaldo Caiado sentiu na manhã deste domingo (3), na missa da Romaria do Divino em Trindade — que ironia! —, o outro lado da vida ao receber a notícia que seu filho, Ronaldo Ramos Caiado Filho, fruto de seu primeiro casamento com Thelma Gomes havia morrido. Não tem como mensurar essa dor. Não se mede sentimentos de partidas bruscas, ainda mais sendo um filho. O pai Ronaldo Caiado desabou. Não haverá alegria na ausência, a não ser a fé, alimento reconfortador da alma esgarçada. O pai Ronaldo Caiado, católico praticante, dobrou os joelhos na missa em que, poucos minutos depois, recebeu a pior notícia que um homem público pode receber: a morte de um filho.

Continua após a publicidade

O grupo O Hoje — jornal diário, portal de notícias ohoje.com e o canal de streaming O Hoje News — liderado pelo seu principal executivo, José Alaesse e sua família bem como seus colaboradores, somam todas as boas energias para reconfortar Ronaldo Caiado e família.

Cada povo interpreta a morte de uma forma, mas todos têm em comum, a imortalidade da alma. Ao ser resgatado do mundo terreno, o que ficam são lembranças e saudade. Essa passagem é dolorida para os que ficam como se parte do corpo fosse arrancada, ferida. Nada é mais doloroso do que uma fotografia alegre entre tantas outros no álbum da memória de que perdeu um filho. OS versos de Coração de Estudante, de Milton Nascimento e Wagner Tiso, resumem bem o legado de Caiado Filho ao seu pai e mãe: “Já podaram seus momentos/Desviaram seu destino/Seu sorriso de menino/Quantas vezes se escondeu/Mas renova-se a esperança/Nova aurora a cada dia/E há que se cuidar do broto/Pra que a vida nos dê flor e fruto.

Veja Também