Moraes prorroga prisão de homem que falou em ‘caçar’ Lula

Ivan Rejane Fonte Boa Pinto é suspeito de fazer ameaças contra políticos de esquerda e ministros do STF.

Postado em: 26-07-2022 às 12h32
Por: Luan Monteiro
Ivan Rejane Fonte Boa Pinto é suspeito de fazer ameaças contra políticos de esquerda e ministros do STF. | Foto: Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, prorrogou nesta terça-feira (26/7) a prisão temporária de Ivan Rejane Fonte Boa Pinto, que é suspeito de fazer ameaças contra políticos de esquerda e ministros do STF.

A prisão de Boa Pinto foi prorrogada por mais cinco dias a contar da próxima quarta-feira (27). O pedido foi feito pela Polícia Federal (PF) em anuência com o Ministério Público Federal (MPF). Ao fim do período de prorrogação, o ministro do STF ainda pode tornar a prisão do suspeito em preventiva, que não possui tempo determinado.

De acordo com a Polícia Federal, a corporação precisa de mais tempo para analisar o material apreendido e evitar que o suspeito entre em contato com outros membros de um eventual grupo criminoso do qual ele integraria.

Continua após a publicidade

Em sua decisão, Moraes aponta que Boa Pinto publicou um novo vídeo em redes sociais intitulado “PRENDE ELE! A esquerda pira e se desespera diante dos fatos… o Brasil acordou! Chora tchutchuca….” ao ser preso pela PF.

No vídeo, o suspeito convoca pessoas para invadir o Supremo no próximo 7 de setembro e volta a atacar o ministro Dias Toffoli.

“Neste novo vídeo, há referência expressa ao art. 142 da Constituição Federal [sobre o papel das Forças Armadas] e à possibilidade de rompimento institucional do Estado Democrático de Direito, também se vislumbrando como possível a configuração do delito de incitação ao crime, previsto no art. 286, parágrafo único, do Código Penal”, diz a decisão.

A prisão

Boa Pinto foi preso na última sexta-feira (22) após Moraes acatar um pedido da Polícia Federal. A PF afirmou que ele “utiliza canais da rede mundial de computadores (YouTube, Facebook, Twitter) e aplicativos de mensagem para ‘mandar um recado para a esquerda brasileira’, cooptando apoiadores com o fim de ‘caçar’ e de praticar ações violentas dirigidas a integrantes de partidos políticos à esquerda do espectro ideológico”.

O suspeito citou, nominalmente, Lula, Freixo e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Outros citados pelo ex-candidato são os ministros do Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e o próprio Moraes. Ele chama os ministros, nessas redes, de “vagabundos do STF”.

Veja Também