Pela segunda vez na semana, Joe Biden testa positivo para Covid-19

O parlamentar apresenta sintomas leves, mas por causa do resultado, terá que reiniciar o processo de isolamento.

Postado em: 30-07-2022 às 17h14
Por: Victória Vieira
O parlamentar apresenta sintomas leves, mas por causa do resultado, terá que reiniciar o processo de isolamento | Foto: Reprodução

Sendo a segunda vez na semana, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de 79 anos, testou positivo para Covid-19. A informação foi divulgada através de um comunicado publicado pela Casa Branca, neste sábado (30/7). O parlamentar apresenta sintomas leves, mas por causa do resultado, terá que reiniciar o processo de isolamento.

As autoridades estadunidenses alegam que entre terça e sexta-feira, o presidente fez os testes da Covid, que voltaram com resultados negativos. Porém, neste sábado, Biden realizou um novo teste e, desta vez, positivou. Essa situação é conhecida como “positividade rebote” do vírus.

“O presidente não apresentou nenhum ressurgimento dos sintomas e continua se sentindo muito bem. Sendo este o caso, não há razão para reiniciar o tratamento desta vez, mas obviamente continuaremos observando de perto”, informou a Casa Branca.

Continua após a publicidade

No dia 21 de julho, o parlamentar pela primeira vez, havia testado positivo para o vírus. Com isso, a Casa Branca afirmou que Biden estava tratando a doença com Paxlovid, um antiviral utilizado para tratar casos leves de coronavírus.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, pacientes que utilizam o Paxlovid apresentam possibilidades de serem alvos da positividade rebote em um curto período de tempo entre 2 a 8 dias após o tratamento, mas os pacientes apresentam sintomas leves.

“Não há evidências de que seja necessário tratamento adicional com Paxlovid ou outras terapias anti-SARS-CoV-2 nos casos em que há suspeita de rebote de Covid-19”, explicou o órgão.

Antes de assumir o cargo de presidente, Joe Biden tomou as duas doses da vacina contra o coronavírus e recebeu as duas de reforço em setembro de 2021 e março de 2022.

Veja Também