Pacheco pede que período eleitoral seja baseado em verdades e com pacificidade

Pacheco sugeriu que os brasileiros tenham "pacificação dos ânimos" durante o período eleitoral e que o tom eleitoral seja "sério, baseado em verdades e boas propostas"

Postado em: 03-08-2022 às 17h59
Por: Lorenzo Barreto
Pacheco sugeriu que os brasileiros tenham "pacificação dos ânimos" durante o período eleitoral e que o tom eleitoral seja "sério, baseado em verdades e boas propostas" | Foto/Reprodução

Em meio a uma nova onda de ataques de Jair Bolsonaro (PL), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco saiu (PSD-MG) nesta quarta-feira (3) em defesa das urnas eletrônicas e disse que dará posse em 1º de janeiro ao chefe do Executivo que será eleito por intermédio das urnas.

Pacheco sugeriu que os brasileiros tenham “pacificação dos ânimos” durante o período eleitoral e que o tom eleitoral seja “sério, baseado em verdades e boas propostas”. Acrescentou que a legitimidade do vencedor do pleito deve ser reconhecida assim que for proclamado o resultado das urnas. A fala de Rodrigo acontece um dia após Bolsonaro ter atacado ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e novamente, sem fundamentos, ter levantado dúvidas sobre o sistema eleitoral brasileiro, em particular as urnas eletrônicas.

O presidente do Senado afirmou que as urnas são motivo de “orgulho nacional” e que ele tem plena confiança no sistema eleitoral brasileiro. O senador mineiro, no entanto, afirmou que as eleições se mostram um “momento desafiador da história nacional” e por isso pediu aos cidadãos e, em particular aos agentes públicos, apaziguamento.

Continua após a publicidade

Antes do pronunciamento, Pacheco se reuniu com representantes da Coalizão em Defesa do Sistema Eleitoral, formado por centrais sindicais, associações e entidades da sociedade civil. No encontro, recebeu uma carta do grupo que também critica as ameaças de Bolsonaro em relação ao pleito eleitoral.

Veja Também