Bolsonaro sinaliza que emendas serão liberadas após a eleição

Emendas são moedas de troca em negociações políticas dentro do Congresso.

Postado em: 04-08-2022 às 13h34
Por: Luan Monteiro
Emendas são moedas de troca em negociações políticas dentro do Congresso. | Foto: Reprodução

O Palácio do Planalto sinalizou que emendas parlamentares, que estão bloqueadas, podem ser liberadas após as eleições. Essas emendas foram bloqueadas pelo Ministério da Economia em julho e, somam, R$ 8,1 bilhões.

Os recursos, que servem como moeda de troca em negociações políticas, geram reclamações e mal-estar dentro do Congresso. A Câmara planeja seguir com as negociações dos R$ 4 bilhões em emendas que ainda faltam ser distribuídos a deputados aliados de Jair Bolsonaro (PL) e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Em diálogo com aliados, Lira avisou que esses recursos estão garantidas até o fim do ano.

Continua após a publicidade

Na última semana, a equipe do ministro Paulo Guedes ampliou o bloqueio das emendas, depois de uma revisão das despesas e das receitas do Orçamento. Apesar de seu custo político, a medida evitou um estrangulamento ainda maior dos gastos dos ministérios.

A reserva original para as emendas de relator e de comissão era de R$ 17,2 bilhões, o governo, porém, havia congelado R$ 1,7 bilhão em março. Agora, o total travado aumentou para R$ 8,1 bilhões.

Veja Também