Éramos seis: Após desistências, só 2 da base disputam vaga ao Senado

Postura do governador Ronaldo Caiado é muito criticada, por de não ter escolhido um pré-candidato para apoiar

Postado em: 05-08-2022 às 07h48
Por: Redação
Contudo, resistiram na base do Governo apenas dois: Delegado Waldir e Alexandre Baldy | Foto: Reprodução

Izadora Resende

Em um passado não muito distante, quando iniciaram-se as discussões políticas para construção dos grupos e chapas políticas para as eleições deste ano, as pré-candidaturas aliadas à base governista para disputar uma vaga ao Senado da República eram seis. Luiz do Carmo (PSC) , Zacharias Calil (UB), Lissauer Vieira (PSD), Delegado Waldir (UB), João Campos (Republicanos) e Alexandre Baldy (Progressistas) eram os nomes cotados para essa corrida eleitoral. Contudo, resistiram na base do Governo apenas dois: Delegado Waldir e Alexandre Baldy. 

Muito comentada e criticada, a postura do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), de não ter escolhido um pré-candidato para apoiar, reforçou as pré-candidaturas avulsas, o que desagradou a muitos. 

Continua após a publicidade

Lissauer Vieira

O mais recente adepto à desistência foi Lissauer Vieira. Confirmada por meio de nota oficial divulgada na última quarta-feira (3/8), uma das justificativas apontadas pelo deputado estadual para não dar prosseguimento a esse projeto foi o fato de candidaturas avulsas serem lançadas ao Senado. “Ocupei o espaço a pedido do PSD, considerando a aliança da legenda com a chapa majoritária para a reeleição do governador Ronaldo Caiado. Mas diante da decisão de candidaturas avulsas ao Senado, entendemos, em conjunto, que o momento é de união e fortalecimento da chapa, não de divisão”, explicou.

Zacharias Calil 

O deputado federal Zacharias Calil, do mesmo partido do governador Ronaldo Caiado, também desistiu de sua candidatura ao Senado pela base do governo. A notícia da desistência de Calil foi publicada nas redes sociais, em um vídeo onde o deputado federal aparece ao lado do mandatário goiano. 

Caiado começou o vídeo dizendo que Calil representa Goiás com muita capacidade no Congresso Nacional, na Câmara dos Deputados. “Neste momento, recebo dele aqui um gesto. Ouvindo o clamor do povo de Goiás e o meu como governador do Estado, para que ele continue disputando mandato como deputado federal e continue elevando o nível de Goiás naquela Casa, ele vai nos atender”, disse. 

À reportagem, Calil afirmou que cumpriu o combinado feito entre eles. “O que nós combinamos foi cumprido. Pedi ao Governador que esperasse até 2 de agosto para ver como seria o meu crescimento e o do Waldir nas pesquisas. Eu comecei a pontuar, chegando a 10%”, explicou. “Mas não poderíamos chegar à convenção dessa forma, com esse embate entre dois candidatos. Então decidi sair, o Caiado falou comigo e pediu para eu continuar esse projeto por Goiás na Câmara Federal. Eu achei importante”, concluiu o deputado.

Luiz do Carmo 

Já Luiz do Carmo (PSC), que ocupa o mandato de senador, precisou desistir da reeleição. O parlamentar lançou a pré-candidatura, também acreditando que teria o apoio do governador de Goiás na chapa majoritária. Mas, mais uma vez, o que se viu foi o fortalecimento das pré-candidaturas avulsas. Para Luiz do Carmo, abandonar a reeleição não foi uma decisão fácil. “Confesso que foi uma decisão muito difícil, já que eu reuni todas as condições para ser reeleito ao Senado”, explicou ele.

Contudo, o senador reforçou que pertence a um projeto maior, e gostaria que Caiado estivesse à vontade para tocar o projeto de se reeleger governador. “Pertenço a um grupo coeso, coerente e unido e, por esse motivo, pensando no coletivo e projetando algo grandioso para os próximos anos, abro mão da minha reeleição agora”, justificou o senador.  

João Campos

Em contrapartida aos desistentes, João Campos (Republicanos), deixou a pré-candidatura na base governista, mas não desistiu de ser candidato ao Senado. Campos percebeu que Ronaldo Caiado enfrentaria dificuldades para apoiar um único nome da base, já que conta com 11 partidos. 

Sendo assim, decidiu que seria melhor traçar uma rota alternativa para chegar ao Senado, apoiando o adversário político do governador, o pré-candidato Gustavo Mendanha (Patriota). Com essa jogada, Campos garantiu ao seu projeto espaço como candidato único na majoritária. Como já apurado pela reportagem do O HOJE, parte do partido, no entanto, preferiu ficar com Caiado. Há quem diga, nos bastidores, que Mendanha lucrou muito mais com a ida de Campos para a chapa do que o contrário. 

Alexandre Baldy

Apesar de não ser do mesmo partido de Ronaldo Caiado, Alexandre Baldy (Progressistas), compõe com a base do governo e é pré-candidato à Casa Alta do Congresso Nacional. Para ele, não há problemas quanto à não definição de um único pré-candidato a ser apoiado por Caiado. 

“Essas últimas desistências dos pré-candidatos ao Senado só reforçam aquilo que tenho dito desde o começo, que nosso projeto político por Goiás é sólido e está consolidado. Respeito muito os colegas que, por quaisquer razões que sejam, desistiram, mas essa não é e nunca foi uma opção para nós”, explicou Baldy. 

Ele disse ainda que, “com muita humildade”, tem buscado dialogar com os políticos que desistiram, na tentativa de que estes o apoiem ao Senado. “Entendo que foram e são nomes importantes e com representatividade, que podem somar ao nosso projeto. Estamos vivendo um momento de muitas mudanças na política, na economia e em todas as áreas. É o momento de nos unirmos para construir um estado democrático mais justo e humano para o povo goiano. E o bem-estar desse povo trabalhador de Goiás sempre foi minha prioridade como político”, concluiu.

Delegado Waldir 

O pré-candidato do partido do governador, o deputado federal Delegado Waldir (União Brasil) se auto intitula como “escolhido” pelo partido tanto nacionalmente, quanto no estado. Waldir explicou que deixou a cargo do governador possíveis articulações para a primeira e segunda suplências, reafirmando que está 100% no jogo. 

Segundo ele, essa é uma luta de Davi contra vários Golias. “É uma luta grande e importante, que tenho encarado com tranquilidade e humildade. Continuo como pré-candidato. Na maioria das pesquisas nosso nome aparece liderando, então não tem porquê o líder ceder espaço para outro”, disse. 

Informações apuradas pela coluna Xadrez, do O HOJE, Ronaldo Caiado recebeu em seu gabinete, na última quarta-feira (3/8), Alexandre Baldy. Segundo fontes da coluna, a conversa girou sobre a chapa majoritária. Caiado confirmou que vai participar da convenção dos Progressistas nesta sexta-feira (5/8), sinal interpretado pelos mais atentos, que o governador vê com bons olhos uma aliança entre Baldy e Waldir.

A partir desta sexta-feira (5/8), Gustavo Mendanha estará oficialmente na corrida pelo Palácio das Esmeraldas. A expectativa é que o nome do vice-governador seja divulgado durante a convenção dos partidos aliados. O deputado federal João Campos também está confirmado na vaga ao Senado. O vice ainda não foi anunciado.

Veja Também