Moraes vota para negar recursos que buscam interromper investigações contra Bolsonaro

O julgamento das discussões no plenário virtual foram suspensos momentos depois a pedido de visto de Mendonça

Postado em: 12-08-2022 às 09h40
Por: Rodrigo Melo
O julgamento das discussões no plenário virtual foram suspensos momentos depois a pedido de visto de Mendonça | Foto: Reprodução/Wilson Dias

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) negou recursos que questionam as investigações para apurar a conduta do presidente Jair Bolsonaro (PL), nesta sexta-feira (12). No entanto, o julgamento foi suspenso após pedidos de vista do ministro André Mendonça.

Alexandre de Moraes é o relator das duas operações e seus votos abriram o julgamento das discussões no plenário virtual, suspensos momentos depois a pedido de visto de Mendonça. As informações são do site G1.

O STF analisava o primeiro caso de um recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a decisão do ministro Alexandre de Moraes, que determinou abertura de inquérito para apurar uma fala de Bolsonaro sobre a vacina contra a Covid e o vírus HIV.

Continua após a publicidade

Leia também: PGR pede arquivamento de apurações contra Bolsonaro

O segundo caso é um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) contra uma decisão de Moraes envolvendo a Polícia Federal. O ministro determinou que a PF elabore um relatório sobre mensagens obtidas após quebra de sigilo, que envolve o vazamento de dados sigilosos pelo presidente.

Moraes declarou, em seu voto, que a divulgação dos dados sigilosos sobre o ataque ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tinha o objetivo de tumultuar as eleições com “o objetivo de expandir a narrativa fraudulenta que se estabelece contra o processo eleitoral brasileiro” e que não possui “quaisquer provas ou indícios”.

Veja Também