TSE autoriza inclusão de 9 militares em grupo de inspeção das urnas

Militares não serão integrantes da equipe de fiscalização e farão trabalho temporário.

Postado em: 16-08-2022 às 15h08
Por: Luan Monteiro
Militares não serão integrantes da equipe de fiscalização e farão trabalho temporário. | Foto: Reprodução

O ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), autorizou nesta terça-feira (16/8) a inclusão de nove militares no grupo de inspeção das urnas eletrônicas. Na decisão, o ministro também ampliou o prazo de acesso as informações dos equipamentos em sete dias. O limite será 19 de agosto.

No ofício, Fachin renovou “o reconhecimento deste tribunal, não apenas pela contribuição das Forças Armadas no âmbito da Comissão da Transparência Eleitoral (CTE), mas sobretudo pelo valioso suporte operacional e logístico prestado por elas em todas as últimas eleições”.

Na última semana, o ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira, enviou ao Tribunal um oficio no qual pedia que o TSE incluísse os nove militares no grupo. Os novos nomes são para um trabalho temporário. O governo quer mais técnicos no exame do código-fonte, já que são milhares de linhas de programação.

Continua após a publicidade

Segundo a CNN, os militares não serão integrantes da equipe de fiscalização, mas sim um reforço para agilizar o processo. A adição ta´bém não tem relação com a saída de um coronel do grupo, que havia compartilhado fake news sobre as urnas nas redes sociais.

Lista dos militares indicados no ofício:

  • Major Diego Bonato Langer (Força Aérea);
  • Capitão Davison Silva Santos (Força Aérea);
  • Primeiro-tenente Fernando Mascagna Bittencourt Lima (Marinha);
  • Primeiro-tenente Rafael Coffi Tonon (Marinha);
  • Primeiro-tenente Gabriel Heleno Gonçalves da Silva (Marinha);
  • Primeiro-tenente Lincoln de Queiroz Vieira (Exército);
  • Primeiro-tenente Gabriel Bozza (Exército);
  • Primeiro-tenente Yuri Rodrigues Fialho (Exército);
  • Primeiro-sargento David de Souza França (Força Aérea).

Veja Também