Lula começa campanha em São Bernardo do Campo

Candidatos ao governo de São Paulo como Fernando Haddad (PT) e ao senado Márcio França (PT) também participaram do evento.

Postado em: 16-08-2022 às 16h20
Por: Lorenzo Barreto
O candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, iniciou a campanha eleitoral de 2022 nesta terça-feira (16) | Foto/TV PT

O candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, iniciou a campanha eleitoral de 2022 nesta terça-feira (16) com uma visita a uma fábrica de automóveis em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. A região é berço do sindicalismo e um ambiente familiar que projetou Lula para a vida pública.

Candidatos ao governo de São Paulo como Fernando Haddad (PT) e ao senado Márcio França (PT) também participaram do evento juntos a presidente do partido petista, Gleisi Hoffmann. Lula subiu ao carro de som pouco antes das 15h e, após falas breves de Gleisi, França e Haddad, discursou por cerca de 20 minutos aos apoiadores presentes

No discurso, o candidato à Presidência afirmou que deve tudo o que aprendeu na vida e na política aos metalúrgicos do ABC, e relembrou histórias de quando atuava como sindicalista na região. “Foi aqui que eu aprendi a ser gente, adquiri consciência política, e foi por causa de vocês que eu acho que fui um bom presidente da República”, disse o pernambucano. O candidato do PT afirmou ainda que quer voltar ao Palácio do Planalto para que o país “volte a ser respeitado no mundo”, cutucando Jair Bolsonaro, e afirmou que sua campanha não terá “mentiras, nem fake news”. E acrescentou que, se eleito, a primeira medida será reajustar a tabela do Imposto de Renda.

Continua após a publicidade

Ao fim do discurso, Lula se emocionou ao falar sobre a crescente da fome e da miséria no país. “Não é por falta de dinheiro, é por falta de vergonha das pessoas que governam. As pessoas não têm sentimentos, não sabem o que é fome, não sabem o que é um cidadão ficar mendigando no seu vizinho por um prato de comida”, declarou. O petista comparou números de anos anteriores, quando ele ou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) estavam no governo, com índices de produção e emprego de 2022 e concluiu dizendo que o Brasil piorou nos últimos anos.

Veja Também