Vereadores voltam contestar secretariado de Rogério Cruz

Obras paradas, secretários inacessíveis e falta de pagamento na Comurg deram o teor das reclamações entre os parlamentares

Postado em: 19-08-2022 às 08h18
Por: Izadora Resende
Os vereadores Clécio Alves (Republicanos), Mauro Rubem (PT) e Lucíula do Recanto (PSD) se pronunciaram, mas o assunto fora introduzido por Rubem| Foto: Reprodução/ Câmara Municipal de Goiânia

Em sessão plenária na última quinta-feira (18/8), alguns vereadores voltaram a tecer críticas aos secretários do prefeito Rogério Cruz (Republicanos). Como já mostrado recentemente em reportagem do jornal O HOJE, as últimas manifestações foram em relação à gestão e aos auxiliares. 

Os vereadores Clécio Alves (Republicanos), Mauro Rubem (PT) e Lucíula do Recanto (PSD) se pronunciaram, mas o assunto fora introduzido por Rubem. “Quero saber quem é o prefeito dessa cidade que não dá conta de resolver os problemas com seus auxiliares. A Comurg está fechando e o prefeito não existe. Quero saber porque o prefeito Rogério Cruz não paga o ITA”, disse o vereador ao questionar a paralisação por parte da empresa de prestação de serviços de limpeza urbana, no início da semana.

Segundo o vereador Clécio Alves (Republicanos), o presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Alisson Borges, tem feito uma “peregrinação” no Paço municipal. “A empresa ITA, que é uma das companhias que presta serviços para a Comurg, havia suspendido os serviços por falta de pagamento. Mas nós sabemos que não é falta de dinheiro, mas sim falta de responsabilidade dos irresponsáveis que fizeram um contrato ignorante e equivocado, fazendo a situação chegar a esse ponto” criticou. 

Continua após a publicidade

O parlamentar disse também que a prefeitura encontrou uma maneira de retomar os serviços da referida empresa. “Por determinação do prefeito Rogério Cruz, haverá um pagamento parcial dos atrasos e um planejamento para os próximos pagamentos”, informou. 

Obra parada

O vereador Cabo Senna (Patriota) aproveitou o momento de ontem para questionar a paralisação das obras de construção de uma praça, no setor Goiânia 2. “Nós destinamos uma emenda para a construção dessa praça. No mesmo dia, as máquinas começaram a limpar, tirar as calçadas velhas e ficou só a poeira. Em dois meses seria a inauguração, mas até agora as coisas não estão andando. Eu queria pedir a vossa excelência, Anselmo Pereira, que é líder do prefeito aqui nesta Casa, que fale com os secretários”, disse Senna.

O vereador explicou que tentou contato com a secretária municipal de relações institucionais,Valéria Pettersen, mas não conseguiu falar. Segundo ele, desde o dia primeiro de agosto está aguardando a ligação de Valéria. “Liguei para ela na quarta-feira oito vezes, ela disse que retornaria. Não retornou. Estou contrariadíssimo com a forma como está sendo feito”, disse. O parlamentar reforçou ainda que a população está lá “comendo poeira”. E continuou: “idosos com dificuldade de respiração, crianças indo para os hospitais. Peço também ao presidente da Comurg, Alisson Borges, que dê uma atenção especial ao Goiânia Dois na parte de cima”, desabafou. Cabo Senna solicitou, ainda, ao vereador Anselmo que “avise a Valéria Pettersen que eu sou da base do prefeito”. 

Em contrapartida, Anselmo Pereira reiterou que sabe que Senna é da base, tanto que Rogério Cruz escolheu a casa do referido parlamentar para fazer lançamento de praças. “O reclame será levado à doutora Valéria Pettersen. Vossa excelência é da base”, completou Anselmo. 

SMM

Já o vereador Anderson Sales Bokão (PRTB) fez uma nota de repúdio ao secretário municipal de mobilidade, Horácio Melo e ao secretário executivo, Ciro Meireles, pois, conforme o parlamentar, mesmo tendo apresentado um abaixo-assinado com assinaturas de moradores do setor Novo Mundo, em Goiânia, solicitando um semáforo para o local, nada foi feito.

“Há quatro meses houve uma conversa entre mim e os secretários da SMM, ficando acordado que a demanda seria atendida. Agora, eu ligo eles não atendem. Na quarta-feira (17/8) o senhor Geraldo faleceu ali na região vítima de atropelamento. Está aqui o documento, jogado no lixo, já que nem resposta me dão”, exclamou.

Emendas

Membro da oposição à prefeitura, a vereadora Aava Santiago (PSDB) também reclamou da falta de interlocução com os secretários junto ao prefeito. “A gente não tem conseguido entregar as emendas impositivas que são para o  próprio município. Eu também liguei para a secretária (Valéria Petersen)  e não fui atendida. Nós pedimos cautela, não comigo ou com algum vereador da base, mas com o prefeito, porque se as emendas não forem pagas ele poderá ser indiciado por crime de responsabilidade”, advertiu Aava.

Veja Também