Em Campinas, Bolsonaro chama Lula de “ladrão” e defende povo armado

Os dois disputam o Palácio do Planalto nas eleições deste ano.

Postado em: 24-09-2022 às 14h09
Por: Lorenzo Barreto
Jair Bolsonaro (PL) após motociata em Campinas (SP). Foto/Divulgação

Em comício eleitoral realizado, em Campinas (SP), na manhã deste sábado (24/9), o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a atacar seu principal adversário político, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de “ladrão”. Os dois disputam o Palácio do Planalto nas eleições deste ano.

Em discurso, o atual presidente afirmou que “há dois nomes” para a corrida presidenciável. O dele e o de um “ladrão”, referindo-se a Lula. O ex-presidente também foi citado como chefe de quadrilha, bandido e saqueador. Durante vários momentos do discurso, Bolsonaro foi bastante agressivo. “Lula é o maior ladrão que passou pela história da humanidade”, declarou. Foi apontado que o presidente citou a palavra “ladrão”, nove vezes.

Bolsonaro também voltou a defender o armamento da população. “Do lado de cá, [temos] alguém que diz que temos o sagrado direito à legítima defesa e, por isso, defende o armamento para o cidadão de bem. […] O povo armado jamais será escravizado”, ressaltou o presidente.

Continua após a publicidade

Durante comício, Bolsonaro utilizou seu tempo para sugerir um pedido para virar votos. Ele pediu para o público conversar com conhecidos, principalmente os indecisos, e virar votos para ele. O presidente sugeriu usar o escândalo da Petrobras e a situação econômica de países como Argentina e Venezuela, governados por líderes de esquerda, como argumentos.

Veja Também