Eleições: quem são os ex-ministros do STF que declararam voto em Lula?

A expectativa do comitê de Lula agora é aderir o apoio de Ayres Britto

Postado em: 29-09-2022 às 10h31
Por: Ícaro Gonçalves
A expectativa do comitê de Lula agora é aderir o apoio de Ayres Britto | Foto: Reprodução/ Google Images

O primeiro turno das eleições se aproxima e o candidato do PT ao Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva, ganhou importantes apoios de ex-ministros do STF em sua candidatura. O petista já conquistou o voto declarado de pelo menos quatro ministros aposentados: Joaquim Barbosa, Nelson Jobim, e mais recentemente, de Carlos Velloso e Celso de Mello.

A expectativa do comitê de Lula agora é aderir o apoio de Ayres Britto. Como justificativa, os ministros criticaram o governo de Jair Bolsonaro (PL) e seus ataques frequentes ao Supremo Tribunal Federal, à confiabilidade das urnas e ao sistema eleitoral brasileiro.

Joaquim Barbosa

Continua após a publicidade

A pedido da campanha de Lula, Joaquim Barbosa gravou um vídeo na terça-feira declarando apoio ao petista. Ele afirmou ser “preciso votar já em Lula no primeiro turno para encerrar esta eleição no próximo domingo”. Para o ex-presidente do Supremo, lembrado como um dos principais nomes dos julgamento do Mensalão, Bolsonaro “não é um homem sério”. Joaquim foi ministro da Corte de 2003 a 2014.

Celso de Mello

Por sua vez, Celso de Mello disse por nota que o atual chefe do Executivo “revelou a uma nação estarrecida por seus atos e declarações a constrangedora figura de um político menor, sem estatura presidencial, de elevado coeficiente de mediocridade, destituído de respeitabilidade política, adepto de corrente ideológica de extrema-direita que perigosamente nega reverência à ordem democrática, ao primado da Constituição e aos princípios fundantes da República”. Mello foi ministro do STF de 1989
até 2020.

Carlos Velloso

Já Carlos Velloso foi direto ao justificar o voto em Lula por não concordar com os ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral brasileiro. “Diante das ameaças do candidato Bolsonaro contra o, especialmente as urnas eletrônicas, reconhecidas aqui e no exterior como seguras e confiáveis, o que redunda em ameaça ao Estado democrático de direito, meu voto, no próximo domingo, será para o Lula”, disse. Velloso foi ministro do STF de 1990 a 2006.

Leia também: PoderData mostra Lula com 48% dos votos válidos; Bolsonaro 38%

Veja Também