Candidata ao Senado, Denise Carvalho defende fim do ‘orçamento secreto’ e do teto de gastos em sabatina

Denise definiu como prioritária a definição do orçamento do país para 2023, com críticas ao chamado "orçamento secreto"

Postado em: 29-09-2022 às 15h50
Por: Ícaro Gonçalves
Denise definiu como prioritária a definição do orçamento do país para 2023, com críticas ao chamado "orçamento secreto" | Foto: Jornal O Hoje

Entrevistada desta quinta-feira (29/9) na sequência de sabatinas promovidas pelo jornal O Hoje, a candidata ao Senado Denise Carvalho (PC do B) foi indagada a respeito de seu perfil convergente e apaziguador em meio à polarização entre direita e esquerda nestas eleições de 2022.

Para Denise, as disputas políticas devem ocorrem ser radicalismos, mas com empenho na busca por soluções de problemas sociais. “Radical significa ir à raiz das coisas. Então a minha radicalidade é apontar as causas das mazelas que temos na sociedade. Nesse sentido eu considero que tenho uma conduta de enfrentar as causas dessas mazelas. Então eu estou indo na raiz das coisas, por exemplo, na causa ambiental. Nós precisamos de um modelo de desenvolvimento que seja socialmente e ambientalmente justo e equilibrado”, iniciou a candidata.

“Agora pra gente defender ideais a gente não precisa estar brigando com os outros nem acusando as pessoas disso ou daquilo. Nós estamos defendendo projetos e interesses. Eu represento os interesses do seguimento popular, das mulheres, dos trabalhadores”, defendeu Denise.

Continua após a publicidade

A respeito de seus projetos para o Senado caso seja eleita, Denise definiu como prioritária a definição do orçamento do país para 2023, com críticas ao chamado “orçamento secreto”. “É um escândalo inadmissível o país ter uma lei que estabelece uma cota para corrupção. Você não sabe quem propôs o que e para onde. São escândalos que percebemos em função de uma aberração”, declarou.

“Em segundo lugar, vamos precisar mexer nessa questão do teto de gastos, que só vale para setores estratégicos. Impor aquela emenda da época do Temer para Saúde, Educação e setor básicos pro nosso povo não dá. Concordo plenamente com o Lula, não pode haver teto pra quem está passando fome. Já tínhamos saído do mapa da fome e precisamos sair de novo. A partir daí, vamos começar a resgatar as políticas que foram perdidas”, defendeu a senadoriável.

A sabatina pode ser acompanhada ao vivo pelo canal O Hoje News, no Youtube. Confira:

Veja também as sabatinas promovidas pelo O Hoje com outros candidatos ao Senado:

Veja Também