Aprosoja diz que equipe jurídica analisa taxa do agro

Contribuição passou na quarta com 22 votos favoráveis e 14 contrários

Postado em: 24-11-2022 às 08h21
Por: Francisco Costa
Contribuição passou na quarta com 22 votos favoráveis e 14 contrários (Foto: Denise Xavier/Alego)

A Associação dos Produtores de Soja de Goiás (Aprosoja-GO) disse em nota que sua assessoria jurídica analisa as medidas cabíveis em relação a taxação do agro. Os projetos que criam a contribuição e o fundo para arrecadação passaram em segunda e definitiva votação na quarta-feira (23), na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

“Agora os projetos de lei serão enviados para sanção do governador e decreto de regulamentação. A assessoria jurídica da Aprosoja-GO está analisando as medidas cabíveis”, diz parte do texto. E ainda: “Agradecemos a todos os produtores que contribuíram com o nosso trabalho em defesa do setor, se mobilizando nas sessões presenciais e acionando deputados na tentativa de evitar a aprovação da taxação.”

Vale lembrar, na terça-feira (22) a sessão foi encerrada após invasão de produtores rurais no plenário. Com isso, a sessão de quarta ocorreu de forma híbrida e sem público na galeria. Foram 22 votos a 14 – na quinta-feira (17), data da primeira votação, foram 22 a 16.

Continua após a publicidade

Votaram a favor da taxação do agro: Álvaro Guimarães (UB), Bruno Peixoto (UB), Dr. Antonio (UB), Rubens Marques (UB), Tião Caroço (UB), Virmondes Cruvinel (UB), Amilton Filho (MDB), Charles Bento (UB), Francisco Oliveira (MDB), Henrique Arantes (MDB), Lucas Calil (MDB), Thiago Albernaz (MDB), Zé da Imperial (MDB), Cairo Salim (PSD), Max Menezes (PSD), Wilde Cambão (PSD), Coronel Adailton (PRTB), Dr. Fernando Curado (PRTB), Julio Pina (PRTB), Jeferson Rodrigues (Republicanos), Rafael Gouveia (Republicanos) e Henrique César (PSC).

Os contrários foram: presidente Lissauer Vieira (PSD), Antônio Gomide (PT), Delegada Adriana Accorsi (PT), Amauri Ribeiro (UB), Hélio de Sousa (PSDB), Major Araújo (PL), Zé Carapô (Pros), Claudio Meirelles (PL), Delegado Humberto Teófilo (Patriota) e Delegado Eduardo Prado (PL), Paulo Cezar Martins (PL), Chico KGL (UB), Paulo Trabalho (PL) e Gustavo Sebba (PSDB).

Outros cinco não estiveram presentes: Alysson Lima (PSB) e Sérgio Bravo (PSB), que votaram contra o projeto na 1ª votação, e Talles Barreto (UB), que havia votado a favor da taxação; além dos deputados Karlos Cabral (PSB) e Lêda Borges (PSDB), que também não participaram da 1ª votação.

Veja Também