TSE questiona R$ 620 mil em gastos de campanha de Lula

Segundo o ministro, equipe da Corte "identificou falhas na prestação de contas e sugere a adoção de diligências aos prestadores de contas"

Postado em: 25-11-2022 às 08h19
Por: Francisco Costa

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Ricardo Lewandowski pediu que a chapa do presidente eleito Lula (PT) explique em três dias supostas irregularidades em aproximadamente R$ 620 mil de gastos da campanha. “A Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias – Asepa, ao realizar o exame das contas dos candidatos eleitos, identificou falhas na prestação de contas e sugere a adoção de diligências aos prestadores de contas”, diz o despacho.

Ainda de acordo com o ministro, faltam dados de uma despesa de R$ 196 mil, por exemplo. Essa tem relação com impressão de material do 2º turno. “Trata-se de despesas que, pelas suas características e pela data em que foram contratadas, necessitam de comprovação adicional além da documentação fiscal.”

Outros R$ 146 mil gastos com uma empresa de adesivos estariam com erros na prestação. Ao site Poder360, a equipe do presidente eleito informou que esclarecerá os gastos dentro do prazo.

Questionamentos do TSE:

  • R$ 24,1 mil em passagens aéreas, cujo valor teria sido duplicado;
  • R$ 3,8 mil em diárias pagas (duplicidade);
  • R$ 70 mil para impulsionar suposto conteúdo irregular;
  • R$ 196 mil com impressão de adesivos, cuja despesa não teria sido devidamente comprovada;
  • R$ 121 mil em sobras de gastos que não teriam sido devidamente recolhidas;
  • R$ 146 mil com impressão de adesivos, material gráfico e placas que não teriam sido devidamente registrados na prestação de contas;
  • R$ 57,5 mil em doações de pessoas físicas, que não teriam sido devidamente comprovados;
  • R$ 805 em doação com origem não identificada.

Veja Também