Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Jardel Sebba pede apoio a manifestantes nos quartéis e Federação quer desfiliação

Tucano, o ex-prefeito de Catalão Jardel Sebba utilizou as redes sociais para pedir apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) para os manifestantes

Postado em: 01-12-2022 às 09h00
Por: Francisco Costa
Ex-prefeito de Catalão pediu apoio ao presidente Bolsonaro para os manifestantes que se organizam em frente aos quartéis. | Foto: Reprodução

Tucano, o ex-prefeito de Catalão Jardel Sebba utilizou as redes sociais para pedir apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) para os manifestantes que ocupam as portas dos quartéis. “Vamos reagir, presidente, acredito que o senhor tem um plano B para esse pessoal que está há um mês nas portas de quartéis, com fome, sede, chuva e frio. Esse povo necessita de um apoio.”

A fala foi postada no Twitter. Ele a escreveu ao compartilhar a última postagem do presidente Bolsonaro, que divulgou somente uma foto. Presidente do Cidadania em Goiás e vice-presidente da federação formada do partido com o PSDB no estado, Gilvane Felipe criticou a postura de Sebba. 

“Lamentável seu posicionamento, deputado. Se quer mesmo seguir esse caminho de apoiar rupturas democráticas, por coerência, deveria pedir desfiliação do PSDB, partido que sempre defendeu a democracia e a Constituição de 1988. Junte-se aos golpistas, lá é o lugar de bolsonaristas”. 

Continua após a publicidade

Ele também escreveu: “O Cidadania e o PSDB formaram uma Federação e esse seu posicionamento vai abertamente contra o posicionamento dos dois partidos que já se pronunciaram contra qualquer tentativa de ruptura da democracia”.

O Hoje também procurou o presidente estadual do PSDB e da Federação, o ex-governador Marconi Perillo, para comentar a postagem. Até o fechamento não houve retorno da assessoria do político.

“Na mão”?

Presidente do PL, Valdermar Costa Neto disse, na terça, que Bolsonaro não deixará os manifestantes “na mão”. Segundo ele, o presidente está animado e vai querer “falar com esse pessoal que está na rua”.

“Ele está bem, está animado, passou o baque. Nós não esperávamos que acontecesse esse resultado. Ele agora se recuperou. Vamos ver como ele vai se comportar. Ele vai querer atender, vai querer falar com esse pessoal que está na rua, pessoal que ele adora e que adora o Bolsonaro”.

E acrescentou a um apoiador: “Vocês podem ter certeza que o Bolsonaro vai dar uma resposta a vocês. Bolsonaro é homem. Pode ter certeza que ele não vai deixar vocês na mão”. 

Manifestações 

Desde a derrota de Bolsonaro para Lula (PT), em 30 de outubro, bolsonaristas insatisfeitos se manifestam contra o resultado das urnas, já reconhecido pelas instituições nacionais. Inicialmente, eles ocuparam as rodovias, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o desbloqueio Com isso, eles migraram para os quartéis. Entre as demandas, eles querem que Lula não assuma a presidência e pedem por intervenção militar. 

O partido do presidente entrou com uma ação contra o segundo turno pedindo para anular os votos de mais da metade das urnas, o que inflou ainda mais os atos. O PL fez a demanda citando um “bug” que envolvia arquivos “log” de urnas menos atuais. O “problema”, segundo especialistas, é facilmente sanado por meio de um simples cruzamento de dados e não impacta o processo eleitoral.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes indeferiu a ação e multou o partido em R$ 22,9 milhões por considerar a ação “litigância de má-fé”. Na última sexta-feira (25), a corte bloqueou R$ 13,5 milhões do PL em uma conta no Banco do Brasil.

Reação

Valdemar reagiu na terça. Por nota, a legenda informou que vai adotar medidas para garantir o direito de contestar decisões judiciais sem “sofrer retaliações”. “O Partido Liberal vai adotar todas as medidas adequadas para preservar a liberdade, o direito à livre atividade parlamentar e partidária, o direito à liberdade de expressão e, mais ainda, o direito constitucional e democrático de contestar decisões judiciais sem sofrer qualquer retaliação”, declarou a sigla.

Veja Também