Terça-feira, 07 de fevereiro de 2023

Carlos Bolsonaro critica alto escalão das Forças Armadas escolhido por Lula: “Vergonha”

Desde que assumiu a presidência, o presidente Lula (PT) buscou nomear comandantes de confiança, que não tivessem proximidade com o bolsonarismo

Postado em: 25-01-2023 às 08h39
Por: Ícaro Gonçalves
Desde que assumiu a presidência, o presidente Lula (PT) buscou nomear comandantes de confiança, que não tivessem proximidade com o bolsonarismo | Foto: Câmara Municipal do Rio de Janeiro

O vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), criticou os posicionamentos dos novos comandos das Forças Armadas escolhidos por Lula. Nos Estados Unidos junto de seu pai, Carlos disse ter “vergonha” do que se transformou “a essência do alto escalão” e que os “estrelados” (em referência aos oficiais generais) “jogam o jogo político deslavado e sujo”.

Confira:

Desde que assumiu a presidência, o presidente Lula (PT) buscou nomear comandantes de confiança, que não tivessem proximidade com o bolsonarismo. Porém, após a invasão da Praça dos Três Poderes, no dia 8 de janeiro, Lula decidiu demitir o general Júlio César de Arruda do cargo e nomear Tomás Paiva como novo comandante do Exército.

A confirmação ocorreu no sábado (21/1), por parte do ministro da Defesa, José Múcio Monteiro. Antes de sua nomeação, Tomás Miguel já chegou a afirmar que o resultado das urnas deve ser respeitado – a primeira manifestação pública de um comandante militar desde os ataques aos Três Poderes.

Embora tenha mencionado as Forças Armadas como um todo, a crítica de Carlos Bolsonaro aparente ser direcionada a Tomás. Válido ressaltar que o Exército foi a principal Força ‘assediada’ pelos grupos bolsonaristas que pediam intervenção militar desde o resultado final da eleição, em 30 de outubro.

Sob investigação

De acordo com a revista Fórum, o filho do ex-presidente estuda abrir mão de mais dois anos de mandato de vereador no Rio de Janeiro para não voltar ao Brasil.

Carlos é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa e com o sigilo bancário quebrado, Carlos Bolsonaro está em Atlanta (EUA) desde dezembro do ano passado.

Veja Também