Presos da Lava Jato estão sendo transferidos para outro presídio

Detentos estão sendo levados para o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, conhecido como Bangu 8. Local foi reformado e passou a receber réus e condenados da Lava Jato

Postado em: 07-05-2018 às 14h25
Por: Victor Pimenta
Detentos estão sendo levados para o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, conhecido como Bangu 8. Local foi reformado e passou a receber réus e condenados da Lava Jato

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)
informa que as transferências dos presos com curso superior que atualmente
cumprem pena na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, zona norte
da cidade, estão sendo feitas desde a semana passada e continuarão até o final
desta semana. Os presos estão sendo levados para o Presídio Pedrolino Werling
de Oliveira, conhecido como Bangu 8, entre eles, condenados ou investigados
pela Lava Jato e Operação Cadeia Velha.

O local foi reformado pelo governo de Luiz Fernando Pezão e
passou a receber réus e condenados da Lava Jato, incluindo o ex-governadores
Sérgio Cabral e Anthony Garotinho e diversos ex-secretários e funcionários de
Cabral, além de presos da Operação Cadeia Velha, como o ex-presidente da
Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani, atualmente em prisão domiciliar
por uma decisão da 2ª Turma do STF. Em Benfica estão também, o ex-presidente da
Alerj Paulo Melo e o deputado Edson Albertassi, ambos do MDB.

Continua após a publicidade

A Seap, no entanto, informou, em nota, “que não pode divulgar
nomes para a segurança dos presos e dos inspetores de segurança e administração
penitenciária”.

A Seap informa ainda que as transferências estão sendo
realizadas de acordo com as prioridades, desde sexta-feira (4), entre as
unidades prisionais, por causa das adequações previstas no decreto de 27 de
abril de 2018, publicado no Diário Oficial do estado de 3 de maio, assinado
pelo interventor federal na segurança pública do Rio, general Walter Souza Braga
Netto.

O decreto trata da reestruturação organizacional da
Secretaria de Administração Penitenciária e tem por objetivo flexibilizar o
fluxo de presos entre 12 unidades prisionais do Estado. O decreto privilegia os
critérios de segurança e redução de superlotação nas unidades prisionais.

 Fonte: Agência Brasil.

Veja Também