Sexta-feira, 22 de setembro de 2023

“Usaram a tribuna de forma maldosa”, diz Santana Pires após ser acusado de agredir servidora na Câmara

Suposta agressão teria ocorrido na própria Casa de Leis. Porém, Santana nega qualquer tipo de agressão

Postado em: 09-06-2023 às 08h25
Por: Mariana Fernandes
Imagem Ilustrando a Notícia: “Usaram a tribuna de forma maldosa”, diz Santana Pires após ser acusado de agredir servidora na Câmara
Santana desmente acusação | Foto: Divulgação/ Câmara Municipal de Goiânia

Após ter sido acusado de agredir uma servidora na Câmara Municipal de Goiânia, o presidente estadual do Partido da Mulher Brasileira (PMB), Santana Pires, se pronunciou sobre o incidente. “Em momento algum cheguei a encostar na Cidinha. Sei respeitar as mulheres e especialmente minhas colegas de trabalho. Fiz uma brincadeira que pode ter sido interpretada de maneira errada. Mas, diante da situação, tenho a humildade de pedir desculpas a servidora que se sentiu ofendida”, relatou ao O Hoje.

Ao portal, Santana conta que tudo não passou de um mal entendido e que estava fazendo apenas uma brincadeira com a colega. “Fui conversar com ela na quinta-feira passada e ela disse que estava querendo se aposentar, após 47 anos de casa. Aí eu brinquei que tínhamos que nos aposentar para descansarmos um pouco e cuidarmos dos netos. Foi uma brincadeira, ela pensou que era maldade, mas não foi”.

“Quero deixar claro também, que não houve agressão, sei respeitar principalmente as mulheres e as pessoas mais experientes. Fiz uma brincadeira que pode ter sido interpretada de maneira errada. Mas, diante da situação, tenho a humildade de pedir desculpas a servidora que se sentiu ofendida”, concluiu o líder do partido, que confirmou que irá esclarecer o caso na tribuna da Câmara na próxima quinta-feira (15). 

Continua após a publicidade

A denúncia, da suposta agressão na Câmara Municipal, foi feita nesta terça-feira (6), pela vereadora Aava Santiago (PSDB). Aava usou seu tempo de fala para relatar que Santana teria chamado uma servidora da Casa de “imprestável”, que ela deveria estar em casa cuidando dos netos e, ainda, teria tentado agredi-la fisicamente. “Ele disse que a funcionária deveria estar aposentada. E como se não bastasse, partiu para cima dela para agredi-la fisicamente, mas foi impedido pelo vereador Edgar Duarte”, denunciou Aava em plenário.

Ao O Hoje, Aava destacou a importância de falar sobre o caso, visto que a servidora, que tem 47 anos de Casa, teria sofrido várias violências, como misoginia e etarismo. Procurada pela reportagem, a servidora não retornou às chamadas durante o feriado de Corpus Christi.

 A agressão teria ocorrido na própria Casa de Leis, quando a funcionária informou sobre documentos necessários para a posse de suplentes do partido. A confusão ocorreu após a servidora não autorizar a posse de dois vereadores do partido, por questão de documentos. Atualmente, os suplentes estão impedidos de assumirem as cadeiras na Câmara, pois não se desincompatibilizam de cargos públicos que ocupam. Eles substituiriam então, Edgar Duarte e Pastor Wilson que estão de licença.

Desfiliação

Após o desentendimento, os vereadores da legenda, Leandro Sena e Ronilson Reis, anunciaram a desfiliação, nesta terça-feira (7). Sobre a desfiliação, o presidente do partido, Santana Reis também se pronunciou.

“Sobre ‘debandada’ informo que os dois vereadores já tinham sido comunicados que já não faziam mais parte do partido na semana passada. Diante deste mal entendido, eles aproveitaram, usaram a tribuna de forma maldosa, falando que estavam deixando o partido. A desfiliação dos dois aconteceu por dificuldade de relacionamento”.

“Eu já havia informado os dois há uns 15 dias atrás, que a direção municipal e estadual não queria mais a filiação dos dois. Nós não temos interesse na filiação nem do Leandro Senna, nem do Renilson Reis.  Ambos não obedecerem às orientações partidárias, fizeram teatro na Câmara de Goiânia devido a isso”, concluiu o líder político. 

Leia também:

Veja Também