Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Sandro Mabel espera chegar a 10 partidos aliados na disputa por Goiânia

Hoje, cinco siglas já estão confirmadas no projeto encabeçado pelo pré-candidato ao Paço Municipal

Postado em: 09-07-2024 às 03h30
Por: Francisco Costa
Imagem Ilustrando a Notícia: Sandro Mabel espera chegar a 10 partidos aliados na disputa por Goiânia
A assessoria do pré-candidato informa, inclusive, que "a pesquisa qualitativa deve ser entregue esse mês | Foto: Reprodução

Pré-candidato à prefeitura de Goiânia, o empresário Sandro Mabel (União Brasil) espera construir uma aliança com até dez partidos. Na segunda-feira (8), a legenda Democracia Cristã (DC) declarou apoio à pré-candidatura em evento no auditório da CDL Goiânia.

Com isso, já são cinco siglas oficializadas no grupo. Além do DC, estão União Brasil, MDB, Avante e Agir. A informação é confirmada pela própria assessoria do político. Outras cinco devem ser anunciadas até as convenções partidárias.

Desse grupo vai sair, inclusive, o vice de Mabel. A assessoria do pré-candidato informa, inclusive, que “a pesquisa qualitativa deve ser entregue esse mês. A partir dela, vão verificar o resultado para definição”. 

Continua após a publicidade

Nos bastidores, existe a perspectiva que o PL recue da pré-candidatura do ex-deputado estadual Fred Rodrigues para uma composição. O ex-parlamentar, contudo, reforça que o projeto é pra valer e que está de pé na disputa. 

Em outra via, inclusive com confirmação do próprio Sandro Mabel ao O Hoje, está a possibilidade do presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (União Brasil), indicar o vice. O nome mais cotado, nesse caso, é do ex-deputado estadual Thiago Albernaz (União Brasil). 

Quem também está de olho na indicação da vice é o MDB. O presidente metropolitano do partido, Agenor Mariano, entende que o PL teria preferência, caso entrasse no páreo. Contudo, ficando de fora, o partido pretende postular o cargo. 

“O MDB quer que o Mabel ganhe a eleição. Com o recuo do Gayer, a gente entendeu que existe a possibilidade de negociação para a união das direitas no primeiro turno. Queremos deixar uma porta aberta. Política é a arte de conversar.” 

Perspectiva de vitória

Segundo o presidente metropolitano, o MDB entende que essa aliança com o PL pode dar a vitória para Mabel “já no primeiro turno”. “Quem o PL indicar, tendo o perfil, seria uma opção. A coligação não vai interferir na indicação do PL. A conversa será com Sandro, [o governador Ronaldo] Caiado (União Brasil) e [o vice-governador] Daniel Vilela (MDB) junto ao PL. Todas as importantes decisões passam pelos três”, reforça.

Dito isso, caso a situação não se concretize, o partido de Agenor continua postulando a vice. Questionado sobre possíveis indicações, ele evita dizer, mas ressalta que não faltam opções no partido. “Caso PL não dê certo, o partido se sente credenciado a indicar o vice.”

Durante evento de apoio do Avante…

Durante evento que marcou o apoio do Avante a pré-candidatura de Mabel, na última semana, Caiado explicou por que escolheu Sandro como nome na capital. O governador contou que se baseou em pesquisas que apontaram que o goianiense anseia por um gestor competente.

“A população de Goiânia não aguenta mais a falta de comando, de pulso, de capacidade de gestão”, disse. A escolha por Sandro representa minha responsabilidade de honrar o voto do povo que me elegeu no primeiro turno. O Avante também entendeu essa responsabilidade e abraçou a pré-candidatura de Mabel”, afirmou.

Pré-candidatura do DC

Pré-candidato pelo DC na capital, o ex-deputado estadual Delegado Humberto Teófilo diz que não vai recuar. “Lamentável ver a postura do pré-candidato Sandro Mabel, que busca utilizar artifícios para tentar abafar a minha pré-candidatura.”

Segundo Teófilo, existe um compromisso dele com o presidente estadual do DC, Alexandre Magalhães, pela pré-candidatura. “Se eu atingir os 10% – e já estou – vou continuar [minha candidatura]”, diz ao afirmar que está na frente de Mabel. “Podemos até analisar, eu na frente, se ele pode ser meu vice ou não”, finalizou.

Veja Também