DEM trabalha para dobrar deputados na Alego

Postado em: 23-03-2021 às 09h05
Por: Augusto Sobrinho
Lyvio Luciano explica que a sigla já vem agregando lideranças políticas na composição para a disputa das eleições no ano que vem | Foto: Reprodução

Dayrel Godinho 

Com quatro deputados eleitos na eleição de 2018 e com o poder do Governo Estadual nas mãos, o Democratas do governador, Ronaldo Caiado (DEM), está trabalhando para dobrar o número de deputados filiados à sigla nas eleições de 2022, quando o Caiado deve concorrer à reeleição com o respaldo da maior quantidade de prefeitos eleitos: 62 prefeitos, com novos nomes que já se filiaram e que novos nomes podem chegar.

O presidente do DEM Metropolitano, Lyvio Luciano, que faz parte das interlocuções, explica novos nomes já se filiaram já pensando nas eleições para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) e também para a Câmara Federal, independentemente do sistema eleitoral pelo qual serão eleitos os deputados, se será pelo sistema proporcional, com ou sem as coligações, ou se haverá novidade, pelo estilo do Distritão, em que são eleitos os deputados mais votados.

Nesta movimentação o DEM já filiou dois deputados estaduais: Tião Caroço (ex-PSDB) e Diego Sorgatto (ex-PSDB, mas deixou o mandato para assumir a prefeitura de Luziânia). Ou seja, o DEM já movimentou 50% da quantidade de deputados eleitos e o partido vai aguardar o momento oportuno para filiar novos postulantes à Alego.

O democrata, que foi candidato nas eleições de 2018 e seria eleito pelo sistema proporcional, mas não seria eleito no sistema do Distritão, explica que o partido está trabalhando na montagem das chapas de olho na força que o DEM tem hoje, independentemente do sistema eleitoral que estará vigente.

O partido, porém, está de olho na busca por outros nomes que pretendem se aproximar do governador do Estado e “isso será decisivo para 2022, quando o partido pretende eleger pelo menos oito deputados estaduais”.  “A gente estará pensando no polo que agrega o nome do governador, onde sempre há interesse de políticos se filiarem à sigla”, explica o presidente.

Nomes já chegaram

As fichas de filiação já estão sendo apresentadas a ex-deputados, ex-senadores e prefeitos que avaliam se vão assinar e pedir para o governador abonar, ou não. É o que já aconteceu com os prefeitos de Novo Gama, Carlinhos do Mangão (PL), de Rialma, Fred Vidigal (PTB), e de Guarinos, José Antônio (PL), que estavam cotados.

A ex-senadora Lúcia Vânia, que deixa a Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), e que deve concorrer a um cargo nas eleições de 2022 inclusive disse em entrevista que já lhe foi apresentada uma ficha de filiação, mas que ele ainda não decidiu, nem por qual partido, nem a qual cargo ela pretende concorrer às eleições.

Outros cotados podem aparecer. Desde o presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB), até o ex-presidente da Casa, José Vitti (sem partido), que pode retornar à Alego. Hoje ele está na Secretaria de Indústria e Comércio (SIC).

O partido, hoje, é o maior do Estado, e o intuito dos líderes é de que o partido se fortaleça ainda mais nos próximos anos.

Compartilhe: