Vereadora de Goiânia se pronúncia sobre repercussão por recebimento do auxílio emergencial

Postado em: 23-03-2021 às 18h55
Por: Redação
Gabriela Rodart afirmou que era compatível com os critérios e que ajuda foi necessária por ter sido afetada com medidas restritivas sobre a atividade econômica | Foto: Divulgação

Jailson Sena

Em resposta a uma matéria do site Mais Goiás, a vereadora de Goiânia Gabriela Rodart (Democracia Cristã), alegou que recebeu o auxílio emergencial, benefício pago pelo governo federal no ano passado em razão dos efeitos econômicos provocados pela Covid-19, de forma legítima e que precisava da ajuda.

“Eu, como milhões de trabalhadores, fui extremamente afetada pelas medidas autoritárias impostas por governadores e prefeitos durante todo o ano passado. E foi graças ao auxílio emergencial fornecido pelo governo federal que eu consegui me manter durante aquele período”, disse Rodart em uma postagem numa rede social.

Antes de ser eleita, Gabriela era cabeleireira sem um salão fixo. “Eu era cabeleireira autônoma. Minha renda foi quase toda extinta em razão dos decretos, fazendo com que eu dependesse do auxílio até janeiro, como milhões de outros brasileiros”, afirmou a vereadora. Ela complementou que após ser empossada, parou de receber o benefício.

Segundo o Mais Goiás, a vereadora recebeu, entre agosto de 2020 e janeiro de 2021, R$ 3 mil de auxílio emergencial. Ainda de acordo com o site, na campanha do ano passado, a parlamentar declarou R$ 20 mil em dinheiro. 

Nos comentários, alguns internautas especularam o uso do dinheiro. “Pegou o auxílio e gastou R$ 20 mil reais em plástica no nariz, segundo o médico que a operou”, escreveu um usuário. Já outros saíram em defesa. “Ela já era vereadora? Já estava empregada? O site foi atrás disso antes de soltar a nota?”, perguntou outro.

Compartilhe: