Guerra de poder traz conflitos políticos em Senador Canedo

Postado em: 31-03-2021 às 12h00
Por: Pedro Jordan
Cidade do entorno de Goiânia vive momento no tenso no executivo. | Foto: Reprodução

Pedro Jordan

A manhã desta quarta-feira, 31, foi marcada por bastante tensão politica na cidade de Senador Canedo, região metropolitana de Goiânia. Havia uma sessão legislativa marcada para às 09h, porém, ela começou com uma hora de atraso e foi suspensa por mais uma hora. O que se especula nos bastidores é que havia uma articulação para tentar tirar o prefeito Fernando Pellozo (PSD) do poder executivo.

Este tipo de papo começou a rolar após o anuncio de mais um dos homens de confiança do senador Vanderlan Cardoso (PSD) do governo de Pellozo, desta vez foi o secretário de Governo, Rafael Gonzaga, que também ocupou o Planejamento Urbando, Industria e Comércio nesta gestão. A insatisfação que os vereadores já tinham e que se especula é que o desgaste vem por conta de uma blindagem de acesso e ações a prefeitura realizada pelo ex secretário extraordinário e novo secretário de governo Lucas Rodovalho.

Pellozo foi eleito com mais 65% dos votos válidos em uma eleição contra o ex-gestor da cidade, Divino Lemes (Podemos), mas não conseguiu engatar maioria na Câmara da cidade, formado por 15 vereadores, dos quais somente três andaram junto com Fernando durante a campanha. Boa parte do secretariado é formado por indicações do Senador da república, porém a debandada do primeiro escalão destas pessoas de confiança de Vanderlan já tem um número considerável, pois já sairam os ex secretários Wagner Siqueira (Administração), Paulo Roberto (Governo), Frederico Jotabe (Comunicação), Rafael Gonzaga (Planejamento Urbano) e o procurador Emílio Marques. 

Em Família

Um fator a se atentar na situação de Senador Canedo é o parentesco dos dois politicos na linha de sucessão atual a prefeitura, pois são irmãos. Magno Silvestre (PSD) é o atual vice-prefeito e secretário de Agricultura, enquanto que Carpegiane Silvestre é vereador pelo segundo mandato e presidente da Câmara. Em um hipotético golpe para tirar Pellozo do poder, de qualquer jeito um filho do ex vereador Itamar Silvestre toma a prefeitura, pois se sair só o Fernando, o vice assume, se tirar a chapa, o presidente assume.

 Magno sempre apoiou o grupo de Vanderlan Cardoso, independente de quem fosse o candidato a prefeitura, e acabou se tornando o vice na chapa após a impuguinação de Eliete Gonçalves (PDT)que é ex primeira dama da cidade, que retirou a candidatura pelo risco de o partido e chapa serem cassados por conta d euma priga politica com o deputado Júlio Pina (PRTB), que também foi candidato a prefeito e fez uma manobra para o PDT estar na chapa dele e não de Pellozo.

Poder do Senador

A base Vanderlista no governo municipal continua forte, pois ainda estão alocados os secretarios Stênio Nascimento, Juliane Gonzaga, Coronel Ramos, Patrícia Rodrigues, Mara Alves e a irmã do Senador, Vanilda Cardoso, além do vice prefeito já citado, Magno Alves, que ocupa a agricultura. Procuramos secretario de governo, Lucas Rodovalho, para saber a atual posição do governo e como foi a reação, ele alegou que iria conversar com o prefeito para depois disto tomar o partido, até o fechamento desta matéria, às 11h48 do dia 31 de março de 2021, ele não respondeu.

Sessão Plenária

Após uma longa reunião entre os parlamentares e Fernando, a sessão foi retomada, mas finalizada por falta de quorum. Por conta da Pandemia, populares não puderam adentrar ao plenário, mas cerca de sete pessoas estavam de fora para pressionar os vereadores com faixas de “Fora Pellozo”, pelo menos três destes eram comissionados da antiga gestão. 

Compartilhe: