Caiado pede que a população não aglomere neste feriado

Postado em: 01-04-2021 às 09h00
Por: Augusto Sobrinho
Reunião detalhou os número de internações e óbitos na 2ª onda da pandemia | Foto: Reprodução

Dayrel Godinho 

Durante uma videoconferência com os prefeitos, o governador, Ronaldo Caiado (DEM), reforçou a importância do apoio municipal na manutenção das medidas de distanciamento social nestes próximos 14 dias em que o comércio voltará a funcionar, “principalmente, durante o feriado prolongado da Semana Santa”.

O governador clamou aos prefeitos que trabalhem para evitar as aglomerações neste período. “Quero, de antemão, agradecer a todos que nos acompanharam nos 14 dias de fechamento das atividades não essenciais. Peçam à população que não haja um fluxo maior nessa data”, pediu o democrata. 

Caiado também comentou que as restrições são fundamentais para a redução ou estabilização da taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que está em 94,8%. “As pessoas estão realmente cansadas, mas devem ter consciência da dificuldade que vivemos”, lembrou o governador.

Além de Caiado, participaram da videoconferência o procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi, o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP), Rodney Miranda, prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), os comandantes-gerais da Polícia Militar, coronel Renato Brum dos Santos, e do Corpo de Bombeiros de Goiás, coronel Esmeraldino Jacinto de Lemos.

Números do Estado 

Durante a reunião, a superintendente de Vigilância em Saúde (Suvisa) da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), Flúvia Amorim, detalhou os números de internações e óbitos em Goiás nesta segunda onda da pandemia da Covid-19, que já atingiu patamar superior ao registrado no ano passado. “No pico da primeira onda, tivemos, na pior semana, 422 óbitos por dia de ocorrência em sete dias. Em 2021, já estamos, em uma única semana, com 739 óbitos confirmados”, disse a superintendente, que reiterou que estamos “vivendo o pior momento dessa pandemia no Estado”.

Flúvia ainda ressaltou que a taxa de ocupação de leitos de UTI permanece acima de 90% há um mês. “O número de pedidos [de UTI] deixou de subir, mas não caiu. Cerca de 200 pessoas ainda estão na fila de espera de um leito”, e completou: “Precisamos fiscalizar e cobrar da população e dos empresários a utilização dos protocolos de biossegurança”. 

Proximidade com Caiado 

O republicano Rogério Cruz participou da reunião e destacou que as ações realizadas em conjunto com o Governo do Estado durante os 14 dias de paralisação e se dispôs a continuar com o mesmo alinhamento, independente da sigla partidária.

“Nós estamos à disposição para trabalharmos em conjunto com o Governo do Estado e com o Ministério Público de Goiás, que sempre nos apoiam”, pontua. “Os senhores têm sido, para nós, prefeitos, a base onde podemos sustentar as ações que temos que implantar para cuidar dos cidadãos”, concluiu o prefeito de Goiânia.

Compartilhe: