Dia Nacional de Combate ao Fumo é lembrado com ações de combate ao consumo

Postado em: 29-08-2017 às 10h00
Por: Lucas de Godoi
O Ministério da Saúde aponta que o tabaco causa um prejuízo não só para a saúde de quem fuma, mas também aos cofres públicos. Gastos com despesas médicas somam R$56,9 bilhões

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto, data instituída
em 1986 pela lei nº 7488, tem como intuito mobilizar e conscientizar a
população sobre os prejuízos e riscos causados pelo cigarro.

Palestras, cursos e atividades sobre tabagismo têm sido
ações recorrentes realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia
(SMS). Apesar da Campanha de Combate ao Fumo ser intensificada durante este
mês, o Programa de Combate ao Tabagismo oferecido pelo Centro Integrado de
Assistência Médico-Sanitária (Ciams) do Setor Pedro Ludovico, funciona durante
todo o ano na rede municipal de Saúde de Goiânia. Os interessados em participar
dos grupos para deixar de fumar devem buscar informações pelo telefone
3524-1604 ou na sede do Distrito Sanitário da região onde reside.

A unidade adota o
modelo cognitivo comportamental e uso o de medicamentos. Apesar do número
expressivo de fumantes em Goiânia, a quantidade de dependentes vem registrando
queda. Em 2011, houve recuo para 11%. A partir de 2013 a taxa vem se mantendo
estável, em 10,4%, mesmo período em que estudos do Ministério da Saúde (MS)
apontaram queda de 47,6% no total de fumantes passivos no trabalho. Segundo o
levantamento feito pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças
Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde, em Goiânia
entre 2010 e 2015 houve redução de 4,6% no quantitativo de fumantes.

Ações

Desde a última semana, os grupos antitabagismo dos Centros
de Atenção Integrada à Saúde (Cais), Centros Integradas de Atenção Médico
Sanitária (Ciams), Centros de Saúde (CS) e CSFs realizam atividades de
conscientização entre a população com divulgação dos trabalhos de controle do
tabagismo das unidades, importância e benefícios para a saúde resultante da
cessação do ato de fumar. No Distrito Sul, por exemplo, o Ciams Pedro Ludovico
possui um grupo antitabagismo que atua na região há dez anos. Duas turmas iniciaram
as atividades neste semestre para acompanhamento com equipe multiprofissional. Em
dez anos, o Ciams Pedro Ludovico já atendeu mais de três mil cidadãos dependentes
de cigarro. Desse total, aproximadamente 1,5 mil conseguiu deixar o vício.

De acordo com levantamento realizado pelo Instituto Nacional
do Câncer (Inca) em 195 diferentes países, o Brasil foi a nação que alcançou a
maior redução do consumo de tabaco, mesmo sendo o segundo maior produtor de
tabaco do mundo. A política de controle do tabaco reduziu em 35% a prevalência
de fumantes nas capitais brasileiras entre 2006 e 2016.

Com informações da
Prefeitura de Goiânia 

Compartilhe: