Hospital de Pirenópolis usa a 7ª arte como terapia infantil

Postado em: 02-09-2017 às 11h30
Por: Victor Pimenta
Ação é voltada para crianças que precisam permanecer na enfermaria da unidade

Com o intuito de estimular o prazer, a reflexão e a
contemplação, o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ) mantém há um
ano um projeto que utiliza o cinema como terapia, o “Cinema na Enfermaria”. A
ação é voltada para crianças que necessitam permanecer na enfermaria infantil
da unidade. A administração do estabelecimento possui uma série de títulos para
a faixa etária, porém, também está disposta a atender as escolhas dos pacientes
por meio do YouTube.

Helga Jaime de Oliveira, gestora de humanização do Hospital,
afirma que a iniciativa traz tranquilidade para crianças e mães que se veem
obrigadas a passar um dia ou mais na enfermaria. “Quando a criança está
inquieta ou chorosa, nós trazemos a opção de assistir um filme ou um desenho de
sua preferência. O resultado é muito satisfatório”. Apesar de ser voltado às
crianças, os familiares e adultos que acompanham os pacientes também aproveitam
o momento para se distrair e se divertir.

O cinema é um artefato cultural criado por determinadas culturas
que nele se refletem e que, por sua vez, as afetam. É uma arte poderosa, fonte
de entretenimento popular e destina-se a educar, doutrinar ou afetar seu espectador
como um todo. Com ele, suas imagens animadas conferem uma experiência
completamente diferente do dia a dia de cada um, pois é nesse emaranhado de
quadros por segundo que as ideias mais mirabolantes ganham vida.

Helga diz ainda que a enfermaria tem vagas para
cinco crianças. O projeto “Cinema na Enfermaria” não tem dia nem hora marcados,
é uma ação diária e contínua que depende, exclusivamente, da vontade da
criança. 

Foto: Divulgação

Compartilhe: