Pesquisa estuda resultado das vacinas de influenza e tríplice viral contra o vírus da Covid-19

Postado em: 15-06-2021 às 16h15
Por: Redação
Para esta primeira etapa, 6 mil voluntários, entre militares e familiares, vão receber 2 mil doses de tríplice viral, 2 mil doses da influenza e o grupo de 2 mil voluntários que receberá uma vacina placebo | Foto: reprodução

A Faculdade da Polícia Militar (FPM), em parceria com a Fundação Tiradentes, deu início a um projeto de pesquisa que visa estudar a imunização cruzada para estudar o resultado das vacinas de influenza e tríplice viral na eficácia contra a Covid-19. A pesquisa científica serve para avaliar a eficácia dessas vacinas na prevenção da Covid-19, com a supervisão dos médicos pesquisadores Mihai Netea, a maior autoridade em vacinas do mundo, e Leonardus A.B. Joosten. O estudo é financiado pela Radboud University Medical Center, da Holanda.  

O projeto envolve a aplicação das vacinas influenza e tríplice viral em voluntários em perfeito estado de saúde, vacinas essas já testadas e usadas na população, sem qualquer efeito colateral, para estudar a sua eficácia na prevenção de outras doenças, além daquelas em que elas já são conhecidamente eficientes.

“O que vamos fazer é avaliar sua eficácia em outros vírus, principalmente o novo coronavírus. As vacinas que serão usadas estão sendo aplicadas nos municípios dentro da campanha anual de vacinação contra gripe e, portanto, temos as reações adversas previstas, por isso é uma pesquisa considerada de baixo risco”, explica o coordenador da FPM, Cel. Nascente.  

O projeto já detém autorização do Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade da Policia Militar – (CEP/FPM) que é registrado e credenciado na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), vinculada ao CNS – Conselho Nacional de Saúde, e portanto, é habilitado para realizar o acompanhamento das pesquisas científicas que envolvem seres humanos.  

Os voluntários 

Com início da vacinação previsto para o período de 16 a 25 de junho, inclusive no sábado e domingo, das 8h às 13h, no auditório da Fundação Tiradentes, a pesquisa vai priorizar a participação voluntária dos beneficiários da Fundação, familiares dos policiais militares do Estado de Goiás e pensionistas, bem como colaboradores e parceiros da instituição. 

Para esta primeira etapa, 6 mil voluntários, entre militares e familiares, vão receber 2 mil doses de tríplice viral, 2 mil doses da influenza e o grupo de 2 mil voluntários que receberá uma vacina placebo (um grupo que recebe uma vacina sem efeito para comparar com os resultados dos demais grupos, essencial para validar o estudo). Este formato é usado em todas as pesquisas científicas no mundo. Ao participar da pesquisa, o voluntário vai contribuir para um caminho de prevenção e cura para a Covid-19 que tem acometido todo o mundo.  

O que é grupo placebo 

No contexto médico científico, o emprego de placebo é chave em testes para avaliação e desenvolvimento de novos medicamentos, procedimentos e terapias. Ele funciona como base de comparação para testar a eficácia de drogas e tratamentos médicos. O placebo não possui efeito ativo, ou seja, não faz qualquer alteração no organismo e é uma importante ferramenta na pesquisa científica. Geralmente, nos estudos sobre novos remédios, os voluntários são divididos em grupos, sendo que parte recebe o verdadeiro tratamento e outra parte toma os placebos.

O paciente pode ou não saber em qual categoria foi incluído, assim como o médico. Quando nenhum dos dois tem conhecimento sobre quem está usando a droga real, o estudo é chamado duplo-cego. No fim da pesquisa, é possível avaliar se o remédio trouxe efeitos positivos, comparando o estado de saúde dos voluntários que tomaram o medicamento com o daqueles que ficaram com o placebo.  

A pesquisa 

A duração do monitoramento de cada participante dependerá dos resultados preliminares obtidos após 3 meses, com duração máxima de 6 meses. Durante a admissão de cada participante, será realizada a coleta de informações essenciais, como dados demográficos, histórico médico, uso de medicamentos e histórico de vacinação, através da aplicação de questionários. Em seguida, os participantes serão separados em grupos específicos.   

Os beneficiários da Fundação Tiradentes (policiais militares, pensionistas e seus dependentes legais), que desejarem fazer parte deste estudo que pretende avaliar como essas vacinas podem colaborar para melhorar ainda mais a nossa imunização contra a COVID-19 e novas possíveis doenças, poderão se inscrever através do site: https://atendimento.tiradentes.org.br/login.php.  

Para os demais interessados em saber mais sobre a pesquisa, conferir o regulamento para participar e dar sua contribuição para a saúde da população, basta acessar o link: https://forms.office.com/r/1St8u5yJGt.  

Compartilhe: