Possível fusão entre DEM e PSL criaria maior partido em Goiás

Postado em: 04-09-2021 às 09h01
Por: Marcelo Mariano
Para se concretizar, algumas pendências locais precisariam ser resolvidas | Fotos: reprodução

Em uma reunião na última semana em Brasília que contou com a presença do governador Ronaldo Caiado (DEM), as cúpulas de DEM e PSL se aproximaram de uma fusão entre os partidos, conforme noticiou o site Poder360. O deputado federal e presidente do PSL em Goiás, Delegado Waldir, disse à reportagem do jornal O Hoje que as negociações ocorrem há pelo menos dois meses e de fato afunilaram nos últimos dias.

“Existe a possibilidade e as discussões estão avançadas, mas há divergências em alguns estados. Espero que a definição saia até o final do ano”, afirmou Delegado Waldir. Um dos estados com divergências, de acordo com o
deputado federal, é Goiás. Caiado busca a reeleição e Delegado Waldir é pré-candidato ao Senado. O problema é que a vaga de senador na chapa majoritária do governador está concorrida. Alexandre Baldy (Progressistas), Henrique Meirelles (PSD), João Campos (Republicanos), Luiz Carlos do Carmo (MDB) e Wilder Morais (PSC) também estão de olho.

“Venho construindo minha candidatura ao Senado há quase dois anos e toda a estrutura do PSL não pode ser ignorada. Em um cenário de fusão com o DEM, o ideal seria ter duas vagas na chapa majoritária, a do governador e a minha”, argumenta o parlamentar. Segundo ele, trata-se de algo “difícil, mas não impossível”.

Delegado Waldir faz questão de ressaltar que, independentemente da fusão, o PSL em Goiás dialoga com
outras forças, como o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (de saída do MDB), e o ex-prefeito de Trindade Jânio Darrot (Patriota), ambos pré-candidatos a governador. Além disso, o PSL tem três deputados estaduais que são oposição – ou no mínimo independentes – em relação a Caiado: Major Araújo, Paulo Trabalho e Delegado Humberto Teófilo.

Existe a possibilidade de um ou outro trocar de partido durante a janela partidária em março do ano que vem, mas essa é mais uma divergência em Goiás que precisaria ser resolvida. Em off, um membro da cúpula estadual do DEM e próximo de Caiado disse ao jornal O Hoje que, “normalmente, essas fusões costumam ser ensaiadas e dificilmente saem do papel”.

Embora Caiado tenha participado da reunião em Brasília, este não é um assunto presente no dia a dia de sua agenda política, de acordo com essa mesma pessoa. A fonte, no entanto, garante que, se a fusão entre DEM e PSL for acertada a nível nacional, “não haveria muita resistência em colocá-la em prática em Goiás”.

Sem se posicionar especificamente sobre a fusão entre PSL e DEM, Delegado Waldir diz que é a favor de o número de partidos diminuírem. “As eleições ficariam mais baratas. Quanto menos partidos, melhor para a democracia e para os eleitores.” O nome do eventual novo partido ainda não está definido e nem quem estaria no comando do diretório estadual em Goiás. De qualquer forma, ele já nasceria como o maior do estado.

Atualmente, PSL e DEM têm dois deputados federais cada, empatados com o Progressistas. Se houver a fusão, o novo partido ficaria disparado com a maior bancada goiana na Câmara dos Deputados. Na Assembleia Legislativa, o DEM já tem a maior bancada, com cinco deputados estaduais. Somando com os três do PSL, chegaria a oito e se consolidaria ainda mais como o maior partido. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: