Omar Aziz acredita que CPI da Covid deve ter nova prorrogação

Postado em: 14-09-2021 às 09h11
Por: Nielton Soares
Presidente revelou que há suspeitas de novos envolvidos no caso da vacina Covaxin, que precisarão ser ouvidos | Foto: Senado

 O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, Omar Aziz (PSD-AM) informou nesta terça-feira (14/09) que as oitivas do colegiado deve ser prorrogada. De acordo com ele, novos indícios apontam para o envolvimento de mais pessoas no caso da vacina indiana Covoxan.

O colegiado tenta ouvir novamente, nesta terça, o advogado e empresário Marcos Tolentino, suposto sócio oculto do “FIB Bank”. A empresa é apontado por oferecer carta-fiança de R$ 80,7 milhões no contrato entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde para a compra da vacina indiana Covaxin.

Anteriormente, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (REDE-AP), tinha prevista o fim dos trabalhos dos parlamentares no próximo dia 16. “Chegamos a informações firmes do que desconfiávamos desde o início. Havia um esquema omisso e, mais do que isso, criminoso no Ministério da Saúde, em plena pandemia”, afirmou.

Mas, a estimativa do presidente Omar, era para o fim do mês, no dia 29. “Acho que não terminaremos no dia 29 a CPI, que precisará ser prorrogada”, revelou Aziz ao canal Globo News, acrescentando a necessidade de se apurar novos indícios de corrupção no esquema da vacina indiana.  

Compartilhe: