Arquitetura: tecnologia possibilita que projetos ousados sejam realizados com mais facilidade e eficiência

Postado em: 16-09-2021 às 17h51
Por: Giovana Andrade
Além de poupar tempo, as ferramentas digitais aumentam as possibilidades a serem exploradas pelos arquitetos. | Foto: Reprodução

Se antigamente algumas formas e linhas mais complexas, como as que encontramos no icônico Museu Guggenheim, em Bilbao na Espanha, eram praticamente impossíveis de serem traçadas no papel, hoje, com modernos softwares de computação gráfica e renderização, facilitou-se tanto a projeção quanto a execução dessas linhas ousadas.

No entanto, o avanço das tecnologias tornou o trabalho dos arquitetos mais fácil? Na opinião do arquiteto e urbanista e sócio-fundador do escritório Norden Arquitetura, Paulo Renato Alves, não necessariamente.

“Antigamente algumas formas eram quase impossíveis de serem projetadas, como superfícies reversas, elementos helicoidais e para você fazer um corte numa fachada e isso chegar na obra para ser executado era impossível. Hoje a arquitetura te exige outras habilidades, mas também exige que o profissional tenha o talento e o feeling de vislumbrar as melhores formas para o projeto e para as pessoas”, afirma o arquiteto, que possui mais de 20 anos de mercado e já assinou mais de 3 milhões de metros quadrados de projetos em diferentes estados brasileiros.

Para Paulo Renato, quem mais ganha com as ferramentas tecnológicas usadas na arquitetura hoje é o cliente, que tem acesso a projetos mais ousados do ponto de vista estético e mais eficientes em relação à perspectiva do que se está projetando. “Antigamente o cliente via o projeto somente em planta baixa. Era muito difícil. Hoje, por exemplo, você usa o recurso de realidade aumentada, é só apontar a tela do celular ou de um tablet para um terreno e a pessoa pode ver virtualmente a casa pronta”, explica.

O também arquiteto Jean Marcel, sócio da Norden Arquitetura e BIM-manager do escritório, observa que a tecnologia na arquitetura está evoluindo muito rapidamente, e acredita que a pandemia acelerou ainda mais esse processo. “Temos hoje uma infinidade de aplicativos, de sites e programas que estão revolucionando os métodos como desenvolvemos os projetos”, pontua Jean.

Ele destaca os softwares baseados na plataforma Building Information Modeling (BIM) que, segundo o arquiteto, resultam em projetos e obras mais eficientes, além de possibilitarem uma melhor visualização do que está sendo projetado.

“Nós aqui na Norden, que sempre buscamos atualizar nossos processos de trabalho, contamos com o melhor software de sistema BIM para arquitetura que se tem no mercado, o Archicad. É um programa em que conseguimos modelar um projeto, fazendo uma construção virtual. Inserimos neste modelo digital o máximo de informações geométricas e construtivas. Assim, ao concluir um projeto, conseguimos, por exemplo, extrair toda documentação técnica necessária para iniciar a obra”, explica Jean.

Atualmente, softwares de computação gráfica possibilitam um trabalho de renderização mais refinado, o que facilita a apresentação das fachadas, por exemplo. “Temos um ótimo índice de aprovação de fachadas por conta disso. Com os softwares da plataforma BIM conseguimos montar maquetes digitais que trazem uma sensação de realismo muito grande”, destaca Marcel.

Segundo Jean, por meio da plataforma BIM, além da questão da modelagem e da estética, é possível gerir as informações do projeto arquitetônico com maior eficiência, o que reflete na otimização de custo da obra. “Com o máximo de dados técnicos que o cliente nos passa, transferimos isso para dentro de um modelo virtual em 3D. Assim, o sistema BIM nos traz um modelo geométrico rico em informação. Então quando alimentamos o projeto com informações confiáveis nós conseguimos extrair, por exemplo, quantitativos para o cliente gerar seus custos. Dessa forma, ele consegue ter um controle do que ele quer no projeto”, explica.

Arquivos

Jean revela que o escritório desenvolveu sua própria plataforma digital para gestão de arquivos. “Criamos essa plataforma que permite não só guardar arquivos mas também fazer a gestão de todos projetos em andamento. Inclusive, em breve os nossos clientes poderão acessar remotamente e acompanhar o projeto que encomendou”, informa.

A utilização desses softwares influencia ainda no tempo de trabalho e na eficiência dos projetos. São ferramentas tecnológicas que eliminam etapas que costumavam ser manuais ou realizadas com programas muito pesados e de difícil operacionalização.

“Com os programas que se tem hoje, em especial os softwares BIM, o arquiteto não perde muito tempo com o desenvolvimento, e ele pode se dar ao luxo de investir mais tempo nas fases iniciais de criação, que são as que deixam o projeto mais original. Toda aquela parte braçal que havia antigamente de ter que desenhar planta, linha por linha, cortar, fazer uma hachura, hoje em dia você já não tem esse tipo de trabalho”, relata o arquiteto.

Compartilhe: