Nos EUA, Pfizer inicia processo para liberação de vacinas em crianças acima de cinco anos

Atualmente, imunizante contra Covid-19 é aplicado em pessoas acima de 12 anos

Postado em: 28-09-2021 às 16h42
Por: Victoria Lacerda
Atualmente, imunizante contra Covid-19 é aplicado em pessoas acima de 12 anos. | Foto: Reprodução

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a empresa de biotecnologia alemã BioNTech deram início, nesta terça-feira (28/09), a um pedido à FDA (Administração de Medicamentos e Alimentos dos EUA) para expandir o uso da vacina contra Covid-19 desenvolvida por elas para crianças entre cinco e 12 anos.

Atualmente, o imunizante é liberado nos Estados Unidos e em outros países, incluindo o Brasil, para adolescentes acima de 12 anos. 

O pedido tem como base um estudo de fase 2/3, com 2.268 participantes, conduzido pelas duas empresas que demonstraram um perfil de segurança favorável e induziu respostas robustas de anticorpos neutralizantes, utilizando um regime de duas injeções de 10 μg (microgramas), três vezes menor do que a aprovada para as demais faixas etárias.

Continua após a publicidade

Imunização

Após aprovação da vacinação pediátrica no início de setembro, Cuba tornou-se o primeiro país do mundo a vacinar crianças entre as idades de 2 a 11 anos. Na última semana, a ilha começou a imunizar jovens de 13 a 17. Segundo as autoridades de Saúde do país, ainda durante essa semana as vacinas serão aplicadas nas crianças de até 2 anos. Todas as crianças cubanas estão sendo imunizadas com as vacinas Soberana 2 e Soberana Plus, produzidas no país. 

Veja Também