Sindicalistas protestam vendendo gás de cozinha a R$ 50 na região Noroeste de Goiânia

Postado em: 14-10-2021 às 12h23
Por: Nielton Soares
Segundo os organizadores, o produto já consume 11% do salário mínimo do brasileiro. Em Goiânia, a estimativa é que o botijão de 13 kg chegue a custar R$ 120 e R$ 130 em outros municípios goianos, após novo aumento de 72% | Foto: divulgação

Um grupo de sindicalistas, para mostrar como seria vendido o gás de cozinha sem impostos, decidiu se juntar e comprar um caminhão com 230 botijões e promover um protesto de conscientização da população na região Noroeste, em Goiânia.

Eles conseguiram vender cada botijão cheio, apenas com os custos e sem a tributação,  por R$ 50. Vale lembrar que a previsão é o preso do gás de cozinha chegar aos R$ 130, após o oitavo aumento no ano, de 7,2%, .

A ação foi realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (SindSaúde), Sindicato dos Trabalhadores Técnicos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Goiás (Sint-Ifes), Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) e Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio). O ato aconteceu no Jardim Curitiba, nessa quarta-feira (13/10).

Compartilhe: