“A Petrobras começa a anunciar já esta semana redução do preço do combustível”, afirma Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesse domingo (05/12), durante entrevista ao portal Poder360, que a Petrobras irá reduzir os preços dos

Postado em: 06-12-2021 às 11h27
Por: Nielton Soares
Declaração do presidente sobre política de preços da estatal aconteceu durante entrevista sobre transporte público | Foto: ABr

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesse domingo (05/12), durante entrevista ao portal Poder360, que a Petrobras irá reduzir os preços dos combustíveis nas refinarias. Segundo ele, o anúncio das reduções deve acontecer ainda esta semana. Mas, por enquanto, a estatal não confirmou a informação.

“A Petrobras começa a anunciar já esta semana redução do preço do combustível. O que eles têm alegado, que eu tenho visto eles reclamando, é que com o aumento do combustível aumenta o preço da passagem. Agora seria bom que eles procurassem os governadores”, afirmou.

No entanto, a assessoria de imprensa da Petrobras informou que a empresa não vai se pronunciar sobre a declaração. Assim, nem confirmou e nem negou a afirmação do presidente.

Continua após a publicidade

No mês passado, em entrevista à CNN Brasil, o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, disse que não discute política de preços com o presidente. “A minha relação com o presidente Bolsonaro é de profundo respeito e consideração, e isso é recíproco. Eu não trato com o presidente sobre o preço de combustível. Esse assunto não conversamos,” frisou

Já em outubro, quando foi entrevistado pela Reuters, Joaquim Silva e Luna reforçou que o risco é “zero” de a Petrobras tentar segurar os preços dos combustíveis no Brasil, embora enfrente um período de valores elevados, pressionando a inflação e o orçamento das famílias.

Redução na bomba

De acordo com especialista, a redução do preço do combustível na bomba não deve atingir os  20% do valor do produto cobrado atualmente. O professor do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (USP), Edmilson Moutinho, salienta que os reajustes vieram em atraso, porque a Petrobras precisava “repor parte do que ela não tinha conseguido repassar (aos consumidores) por pressões políticas”, citou, em entrevista à CNN.

Ele prevê que os recuos dos preços nas refinarias devem chegar aos 12% até 15%, o que já seria surpreendente, porém, “não vamos encontrar isso na bomba”, lamenta.

Veja Também