Golpista se irrita e chama homem de “mal-educado” na tentativa de furtar dados da vítima

Postado em: 17-12-2021 às 10h02
Por: Alexandre Paes
A vítima recebeu uma ligação e mensagens do suposto 'banco' que tentava oferecer um falso cartão de crédito e débito. | Foto: Reprodução

Diariamente recebemos ligações importunas do telemarketing, e pra quem não sabe, existem algumas formas de evitar a frequência dessas chamadas e uma delas é pedir para que a empresa retire o seu número da base de dados. O cientista de dados, Rafael Godori fez isso quando recebeu uma ligação e mensagens do ‘banco’ que tentava oferecer um falso cartão de crédito e débito, sendo que na verdade a intenção era furtar os dados.

“Recebi uma ligação com uma mensagem gravada falando que eu tinha um cartão pré-aprovado. Geralmente, quando recebo essas ligações, logo entro em contato com a empresa para que tirem o meu número da base deles”, conta Rafael.

No entanto, a mensagem não dizia qual era o banco. “Por isso, quando a gravação perguntou se a empresa podia entrar em contato comigo, escolhei a opção ‘sim’; dessa forma eu conseguiria pedir a retirada diretamente ao atendente”, explica.

Ao falar que não tinha interesse na oferta e pedir a retirada de seu número, porém, Rafael recebeu uma resposta um tanto ‘deselegante’. O golpista se irritou e chegou a chamar o cliente de “mal-educado”. Confira a conversa na íntegra:

Ao entrar em contato com o banco Santander para entender o motivo da resposta “grosseira”, foi descoberto que o contato era uma tentativa de golpe. A instituição negou que o número seja da companhia, ressaltando que o logo usado na foto do contato é antigo e não é mais utilizado pela empresa.

Segundo Rafael, seria difícil identificar a tentativa de golpe sozinho, já que o criminoso utilizou uma mensagem gravada se passando pelo banco no primeiro contato, usava WhatsApp Business e tinha a abordagem padrão utilizada por empresas de telemarketing. Além disso, o criminoso usou um número muito parecido com aquele usado pelo Santander.

Vale ressaltar que é preciso redobrar a atenção quando algum número desconhecido entra em contato afirmando ser de alguma instituição conhecida. Em golpes mais elaborados como este, por exemplo, algumas dicas para se precaver é pesquisar o número na internet e entrar em contato com a empresa por meio de canais oficiais.

Se o buscador não relacionar o número com o banco ou empresa de imediato, desconfie. Outro ponto que pode passar batido é justamente o logo utilizado pelo contato na foto de perfil, já que a empresa nunca usará a antiga. Por último e mais importante: nunca compartilhe dados pessoais sem antes ter certeza de que o número é realmente da instituição.

Compartilhe: