Após Hyundai, montadora Nissan também decide encerrar produção de motores a combustão

A mudança de planos da Nissan tem a ver com as novas políticas internacionais de emissão de poluentes, cada vez mais rígidas.

Postado em: 10-02-2022 às 10h50
Por: Ícaro Gonçalves
A mudança de planos da Nissan tem a ver com as novas políticas internacionais de emissão de poluentes, cada vez mais rígidas | Foto: Reprodução

A montadora japonesa Nissan comunicou nesta semana que irá encerrar a produção de motores a combustão nos principais mercados em que está presente, exceto os Estados Unidos. Com a decisão, a montadora vai se dedicar ao desenvolvimento de carros elétricos. Há pouco mais de um mês, no final de dezembro, a coreana Hyundai Motors tomou a mesma decisão, afirmando que seria “impossível impedir a eletrificação”.

A mudança de planos da Nissan tem a ver com as novas políticas internacionais de emissão de poluentes, cada vez mais rígidas. Na Europa, onde a fabricante já não desenvolve carros a combustão, padrões mais restritos entrarão em vigor a partir de 2025.

O corte também ocorrerá gradualmente no Japão, e no mercado gigantesco da China. Nestes dois países, a fabricante ainda continuará a oferecer tais motores, mas para a utilização em novos projetos de carros híbridos.

Continua após a publicidade

No caso do mercado norte-americano, a decisão de manter a produção de motores a gasolina se deve à alta demanda existente por lá, de acordo com a publicação. Nos EUA, a procura é grande principalmente pelas picapes da marca japonesa, com a disponibilidade sendo mantida pelo menos até o governo local decidir mudar a legislação.

Previsão de crescimento

Os investimentos anuais da empresa em pesquisa de motores a combustão chegam a US$ 4,3 bilhões (R$ 22,6 bilhões pela cotação atual). Com as mudanças, a Nissan deve passar a investir a quantia na eletrificação do seu catálogo. A marca estaria de olho no crescimento deste nicho previsto para a próxima década.

Veja Também